ISSN 1678-0701
Número 65, Ano XVII.
Setembro-Novembro/2018.
Números  
Início      Cadastre-se!      Procurar      Submeter artigo      Fazer doação      Contato     Apresentação     Normas de Publicação     Artigos     Dicas e Curiosidades     Reflexão     Para sensibilizar     Dinâmicas e recursos pedagógicos     Entrevistas     Culinária     Arte e ambiente     Divulgação de Eventos     O que fazer para melhorar o meio ambiente     Sugestões bibliográficas     Educação     Você sabia que...     Plantas medicinais     Contribuições de Convidados/as     Folclore     Práticas de Educação Ambiental     Soluções e Inovações     Ações e projetos inspiradores     Gestão Ambiental     Relatos de Experiências     Notícias
Artigos

16/09/2018CONSCIENTIZAÇÃO AMBIENTAL SOBRE TÉCNICAS ALTERNATIVAS SUSTENTÁVEIS: TELHADO VERDE  
Link permanente: http://www.revistaea.org/artigo.php?idartigo=3376 
" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">

CONSCIENTIZAÇÃO AMBIENTAL SOBRE TÉCNICAS ALTERNATIVAS SUSTENTÁVEIS: TELHADO VERDE



Ana Carolina Dias de Albuquerque1, Marla Corso2, Adriano Pereira Cardoso3, Edneia A. de Souza Paccola4, Luciana C. S. H. Rezende5



1 Programa de Pós-Graduação, Mestrado em Tecnologias Limpas, Centro Universitário de Maringá, Bolsista do Instituto Cesumar de Ciência, Tecnologia e Inovação, acdalbuquerque@hotmail.com;

2 Programa de Pós-Graduação, Mestrado em Tecnologias Limpas, Centro Universitário de Maringá, Bolsista do Instituto Cesumar de Ciência, Tecnologia e Inovação;

3 Programa de Pós-Graduação, Mestrado em Tecnologias Limpas, Centro Universitário de Maringá, Bolsista do Instituto Cesumar de Ciência, Tecnologia e Inovação;

4 Programa de Pós-Graduação, Mestrado em Tecnologias Limpas, Centro Universitário de Maringá;

5 Programa de Pós-Graduação, Mestrado em Tecnologias Limpas, Centro Universitário de Maringá;



Resumo

O uso do telhado verde é uma alternativa sustentável para melhorar a qualidade de vida nas áreas urbanas, que em sua maioria estão densamente edificadas. O presente trabalho tem como objetivo identificar de que forma se estrutura um telhado verde e quais os fatores que podem contribuir para sua maior aplicabilidade nas áreas urbanas, por meio da classificação dos tipos de cobertura verde existentes assim como o uso adequado de cada um deles. A metodologia abordada para o cumprimento deste objetivo foi a identificação de fatores que auxiliem na conscientização do uso deste método construtivo. Os resultados identificaram que o maior desafio para a aplicabilidade do telhado verde no Brasil é o seu custo. Assim, para que o uso do telhado verde ocorra de maneira expressiva, é necessária uma iniciativa pública, e também uma maior conscientização da população sobre os seus benefícios.

Palavras-chave: Classificação; Método Construtivo; Sustentabilidade.



Abstract

The use of the green roof is a sustainable alternative to improve the quality of life in urban areas, which are mostly densely built. The present work aims to identify how a green roof is structured and what factors may contribute to its greater applicability in urban areas, through the classification of existing types of green cover as well as the appropriate use of each one. The methodology used to accomplish this objective was the identification of factors that help in the awareness of the use of this constructive method. The results identified that the biggest challenge for the applicability of the green roof in Brazil is its cost. Thus, for the use of the green roof to take place in an expressive way, a public initiative is necessary, as well as a greater awareness of the population about its benefits.

Key words: Ranking; Constructive Method; Sustainability.



1 INTRODUÇÃO

Em decorrência do crescimento econômico, a urbanização tem aumentado significativamente. Estima-se que em países desenvolvidos esta deverá atingir 83% até 2030, acarretando a degradação da paisagem e do ambiente. Como solução para estes problemas tem-se a implementação de infraestruturas verdes no meio urbano, como o telhado verde, paredes verdes, jardins de chuva, entre outros. O maior destaque é o telhado verde, que consiste na plantação de vegetação na cobertura das edificações (SHAFIQUE; KIM; RAFIQ, 2018).

A utilização do telhado verde em construções, em especial em áreas urbanas, tem grande colaboração pelo fato de reduzir o efeito das ilhas de calor; melhorar o escoamento de águas pluviais; auxiliar na redução do consumo de água potável e energia elétrica e na redução de emissões de gases do efeito estufa por meio da fotossíntese das plantas (KÖHLER et. al, 2001).

A estabilidade das grandes cidades depende das áreas verdes. Estas podem ser empregadas em diversas zonas urbanas, tanto públicas quanto privadas, auxiliando no equilíbrio ecológico, conservação da biodiversidade, incentivo à convivência humana e melhora da qualidade do ambiente local e do entorno (GENGO; HENKES, 2013).

Pelo fato de ser composto por camadas, o telhado verde funciona como isolante térmico proporcionando conforto térmico no interior das edificações. Em regiões quentes, mantém o frescor e em regiões frias, mantém o calor (MELLO et al., 2010).

Sendo o telhado verde classificado em intensivo, semi-intensivo e extensivo (NASCIMENTO,2010).

O objetivo geral deste estudo é apresentar a metodologia de implantação do telhado verde, assim como a conscientização sobre seu uso, sua classificação, benefícios, vantagens e desvantagens, e os seus custos, conforme apresentado na Figura 1.

Para cumprimento deste objetivo será apresentado a seguir o item desenvolvimento, no qual será abordado os tipos de telhados verdes existentes. A abordagem metodológica adotada para a execução deste trabalho consiste em um estudo sobre a conscientização da utilização de técnicas alternativas sustentáveis.

Figura 1 – Estrutura Metodológica Fonte: (Elaborado pelo autor, 2018)

2 DESENVOLVIMENTO

2.1 Conscientização

O termo “desenvolvimento sustentável” foi disseminado pela divulgação do Relatório Brundtland em 1987, pela Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento das Nações Unidas (1988), defendendo o seguinte conceito: “desenvolvimento sustentável é aquele que atende às necessidades do presente sem comprometer a capacidade das gerações futuras de atenderem as suas próprias necessidades” (RAM,2011). De forma que devem ser pensadas em alternativas sustentáveis para a concepção do planejamento urbano.

Conforme a Agenda 2030, em 2015 os líderes mundiais reuniram-se na ONU e criaram um plano de ação: a Agenda 2030 visando o desenvolvimento sustentável, o qual contém 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). A utilização do telhado verde adequa-se em alguns destes objetivos, sendo eles:

  • 9. Indústria Inovação e Infraestrutura: construir infraestrutura resiliente, promover a industrialização inclusiva e sustentável, e fomentar a inovação;

  • 11. Cidades e Comunidades Sustentáveis: tornar as cidades sustentáveis e os assentamentos humanos inclusivos, seguros e resilientes;

  • 12. Consumo e Produção Responsáveis: assegurar padrões de consumo e produção sustentável;

Segundo Rola (2008), o uso do telhado verde proporciona inúmeros benefícios para as cidades, podendo ser em relação a aspectos econômicos, sociais e ambientais. Apesar do interesse de profissionais e do público em geral por este tipo de cobertura, o Brasil não possui tradição em relação a este método construtivo, o que dificulta o acesso e a viabilidade (KREBS; SATTLER, 2010).

Sendo necessário o incentivo público, como o Projeto de Lei nº 115 de 2009 da cidade de São Paulo, que determina para as edificações, residenciais ou não, com mais de 3 unidades agrupadas verticalmente, possuam telhado verde. Visando a redução das ilhas de calor e melhoria da paisagem urbana, sendo o prédio da Prefeitura de São Paulo, um exemplo no centro da cidade (GENGO; HENKES, 2013).

2.2 Classificação Telhado Verde

Segundo Nascimento (2010), existem três tipos de telhado verde em função da escolha da vegetação, que podem ser classificados em intensivo, semi-intensivo e extensivo, exemplificados nos próximos itens. Podendo ainda receber outra classificação de acordo com Minke (2004 apud Vergana, Pippi e Barbosa, 2009), os telhados verdes podem ser classificados em relação a sua inclinação, podendo ser plano, moderado e acentuado, como podemos observar na Tabela 1.

Tabela 1 – Classificação do telhado verde de acordo com a inclinação. Fonte: Neto (2012)

      1. Intensivo

Os telhados denominados intensivos, utilizam plantas que necessitam de maior consumo de água e utilizam sistemas de irrigação, adubo e manutenção geral, funcionando como jardins tradicionais (Figura 2). Possui espessura mínima do substrato de 15 cm e pode chegar até a 2 m. Os custos são elevados e a durabilidade é relativa aos cuidados de manutenção que devem ser realizados.