ISSN 1678-0701
Número 65, Ano XVII.
Setembro-Novembro/2018.
Números  
Início      Cadastre-se!      Procurar      Submeter artigo      Fazer doação      Contato     Apresentação     Normas de Publicação     Artigos     Dicas e Curiosidades     Reflexão     Para sensibilizar     Dinâmicas e recursos pedagógicos     Entrevistas     Culinária     Arte e ambiente     Divulgação de Eventos     O que fazer para melhorar o meio ambiente     Sugestões bibliográficas     Educação     Você sabia que...     Plantas medicinais     Contribuições de Convidados/as     Folclore     Práticas de Educação Ambiental     Soluções e Inovações     Ações e projetos inspiradores     Gestão Ambiental     Relatos de Experiências     Notícias
Artigos

16/09/2018PERCEPÇÃO DE ESTUDANTES DA EDUCAÇÃO BÁSICA SOBRE A IMPORTÂNCIA DAS ABELHAS PARA O MEIO AMBIENTE  
Link permanente: http://www.revistaea.org/artigo.php?idartigo=3356 
" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">

PERCEPÇÃO DE ESTUDANTES DA EDUCAÇÃO BÁSICA SOBRE A IMPORTÂNCIA DAS ABELHAS PARA O MEIO AMBIENTE

Danilo Fernandes Dantas Moura1, Neyla Cristiane Rodrigues de Oliveira2, Elisabeth Regina Cavalcanti Silva3, José Gustavo Melo4, Mayara Danyelle Rodrigues de Oliveira5 Lúcia da Silva Fontes6

1 Licenciatura em Ciências Biológicas, Universidade Federal do Piauí, UFPI, Campus Ministro Petrônio Portella, Teresina-PI. E-mail: danilofernandesdantas@hotmail.com.

2 Especialista em Ensino de Genética, Grupo de Estudos e Pesquisas Ambientais do Maranhão- GEPAM, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão-IFMA, Campus Alcântara, Alcântara-MA. E-mail: neylacristiane_bio@yahoo.com.

3 Mestre em Geografia, Grupo de Estudos e Pesquisas Ambientais do Maranhão- GEPAM, Professora EBTT, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão-IFMA, Campus Alcântara, Alcântara-MA. E-mail: elisabeth.silva@ifma.edu.br.

4 Professora EBTT, Instituto Federal de Educação federal do Piauí, IFPI, Campus Uruçuí, Uruçuí-PI. E-mail: mayaraoliveira@ifpi.edu.br.

5 Mestre em Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente, Universidade Federal de Pernambuco-UFPE, Recife-PE. E-mail: josegustavo_melo@hotmail.com.

6 Doutora, professora do departamento de Biologia, Universidade Federal do Piauí, UFPI, Campus Ministro Petrônio Portella, Teresina-PI. E-mail: luciafontes@ufpi.edu.br.



Resumo: As abelhas constituem um dos principais grupos de polinizadores do ambiente terrestre, responsáveis pela manutenção de várias espécies vegetais. Em razão dessa importância, este trabalho procura analisar a percepção de estudantes da educação básica sobre a importância das abelhas para o meio ambiente. Participaram do estudo 51 estudantes do ensino médio de uma escola pública de Teresina, PI. A pesquisa possui uma abordagem quanti-qualitativa e foram utilizados questionários semiestruturados para obtenção de dados. Constatou-se que os estudantes reconhecem a importância ecológica das abelhas e consideram a inserção da educação ambiental no âmbito escolar como uma forma de ajudar na construção da consciência ambiental dos jovens, e assim formar cidadãos sensibilizados com as questões ambientais, a fim de assegurar não somente a conservação das espécies de abelhas, mas todas as outras espécies animais e vegetais, e promover a disseminação da sua importância para a sociedade.

Palavras chave: Consciência ambiental. Conservação. Educação Ambiental.

Abstract: Bees are one of the main groups of pollinators in the terrestrial environment, responsible for the maintenance of several plant species. Because of this importance, this work seeks to analyze the perception of basic education students about the importance of bees to the environment. A total of 51 high school students from a public school in Teresina, PI participated in the study. The research has a quanti-qualitative approach and semi-structured questionnaires were used to obtain data. It was found that students recognize the ecological importance of bees and consider inserting environmental education into the school environment as a way to help build the environmental awareness of young people and thus to educate citizens with environmental awareness in order to ensure only the conservation of bee species, but all other animal and plant species, and promote the dissemination of its importance to society.

Keywords: Environmental awareness. Conservation. Environmental education.



Introdução

As abelhas representam um dos principais grupos de polinizadores dos ecossistemas terrestres e contribuem para o aumento da produção de frutos e, consequentemente, favorece a reprodução de várias espécies de plantas (BIESMEIJER; SLAA, 2006; BALLIVIÁN, 2008). As abelhas são responsáveis pela polinização de mais da metade das 240 mil espécies de plantas floríferas existentes no mundo, no entanto, nas últimas décadas, tem havido uma diminuição no seu número. A diminuição no número de polinizadores, principalmente de abelhas domesticadas (Apis mellifera L.), segundo Pareja et al. (2011), tem sido relatado ao longo dos anos de 1880, 1920 e 1960, o que está relacionado ao uso de pesticidas. Entretanto nos últimos anos o tema tem voltado às discussões pela rapidez e magnitude com que as abelhas estão desaparecendo, o que pode desencadear grande impacto ambiental, principalmente em relação à falta de alimentos e à interrupção da dinâmica ecológica (WILLIAMS et al., 2010).

No Brasil, existem dois gêneros principais de abelhas, Melipona e Apis, o primeiro é nativo das Américas e não possui ferrão, já o segundo é europeu e foi introduzido pelos colonizadores portugueses. Eles são responsáveis por 40 a 90% do processo de polinização que resulta diretamente na produção de frutos que servem de alimento para várias espécies animais de diferentes biomas ao redor do globo. São seres fundamentais para a manutenção da vegetação natural e cultivada. Sua preservação é importante devido ao papel que desempenham na cadeia biológica: fazer a polinização e garantir, dessa forma, a continuidade das espécies vegetais (KERR et al., 1996; PEREIRA et al., 2011).

Por essa razão, a apicultura desperta grande interesse da sociedade, por se tratar de uma atividade que corresponde ao tripé da sustentabilidade: o social, o econômico e o ambiental. O social por se tratar de uma forma de geração de empregos e ocupação, o fator econômico, além de gerar renda para as famílias, há a possibilidade de obtenção de bons lucros, uma vez que as abelhas produzem mel, própolis, cera, geleia, etc., e na questão ambiental pelo fato de as abelhas atuarem como polinizadores naturais de espécies nativas e cultivadas, preservando-as e consequentemente contribuindo para o equilíbrio do ecossistema e manutenção da biodiversidade (ARAUJO, 1982). Arruda et al. (2011) salienta ainda que a cadeia produtiva da apicultura propicia a geração de numerosos postos de trabalho, empregos e fluxo de renda, bem como na melhoria da qualidade de vida e na fixação do homem no meio rural.

Nesse contexto, Cornelissen e Fernandes (2003) comentam que cerca de 80% das espécies conhecidas pelo homem são mistas entre insetos e plantas e grande parte dessas espécies interage entre si com relações mutualísticas ou parasíticas. Até 85% das espécies de plantas com flores (várias frutíferas) e florestas do planeta dependem de organismos que atuam como agentes polinizadores (abelhas, por exemplo) para serem fecundadas e prosperarem por várias gerações, mas se algum dia houver a interrupção deste ciclo, pela ausência de tais agentes, o equilíbrio dos ecossistemas estará prejudicado, então é imprescindível a conservação da apifauna.

Dessa forma, estratégias de educação ambiental para a conservação da apifauna podem oferecer novas perspectivas de conhecimento sobre essa temática, garantindo a preservação das relações ecológicas existentes e demonstrando a importância ambiental das abelhas polinizadoras, que realizam um trabalho essencial na reprodução de espécies vegetais nativas e no aumento da produtividade das plantas cultivadas. Assim, iniciativas como a de Peruchi e Gonçalves (2015) na formulação de um caderno de atividades para educação ambiental de alunos em relação à importância das abelhas para o planeta é um bom exemplo de como o tema pode ser introduzido em sala de aula.

Em conformidade com a Lei n° 9.795, de 27 de abril de 1999, que institui a Política Nacional de Educação Ambiental, as escolas abordam temas da educação ambiental (EA), tais como preservação de espécies de animais e vegetais, reciclagem de lixo, desmatamento, queimadas e assoreamento dos rios. No entanto, boa parte desses conteúdos é trabalhada em sala de aula, com aulas expositivas teóricas, que dificultam a assimilação com o cotidiano. Destarte, é importante promover eventos de EA, que envolvam atividades práticas e lúdicas, pois as mesmas propiciam maior envolvimento do aluno e desenvolvimento do senso crítico, além de aperfeiçoar o aprendizado e contribuir para a construção da consciência ambiental. Tendo em vista que a EA pode ser entendida como a forma que o indivíduo e a coletividade constroem valores sociais, conhecimentos, habilidades, atitudes e competências voltadas para a conservação do meio ambiente, bem de uso comum do povo, essencial à sadia qualidade de vida e sua sustentabilidade (BRASIL, 1999).

Pesquisas de cunho social acerca do conhecimento desenvolvido pelos jovens, de acordo com suas práticas escolares, são ideais para o fomento de novos métodos e práticas de ensino. Espera-se que as informações dos alunos sobre diversos temas provenham dos conhecimentos adquiridos em experiências cotidianas e relacionados ao meio em que estão inseridos (senso comum) e apropriadamente repassados pelos professores. Desse modo, a preocupação com o desenvolvimento sustentável representa a possibilidade de garantir mudanças sociopolíticas que não comprometam os sistemas ecológicos e sociais que sustentam as comunidades (JACOBI, 2003).

Nessa perspectiva, Pacheco e Silva (2007) destacam a percepção ambiental como temática recorrente, que colabora para a consciência e prática de ações individuais e coletivas, dessa forma, o seu estudo ajuda a compreender melhor as inter-relações entre homem e natureza, suas expectativas, satisfações e insatisfações, julgamentos e condutas frente às questões ambientais.

Nesse sentido, objetivou-se neste trabalho analisar a percepção de estudantes da educação básica sobre a importância das abelhas para o meio ambiente. Dessa forma, o estudo é importante por abrir caminho para a discussão de uma temática importante e atual, que é a conservação da apifauna e os impactos ambientais que a sua diminuição causaria ao planeta, bem como apontar alternativas propostas pelos estudantes para a questão ambiental da preservação das abelhas, o que pode nortear o entendimento do grau de conhecimento dos estudantes e de como eles encaram esta problemática.

Metodologia

A pesquisa foi realizada na Unidade Escolar Professor José Amável, localizada na zona leste, bairro Noivos, município Teresina, PI, com 51 estudantes do ensino médio (1º e 2º ano), na faixa etária entre 14 e 18 anos de idade. A mesma baseia-se em uma abordagem quanti-qualitativa que permite recolher mais informações do que poderia conseguir isoladamente, visto que para Fonseca (2002, p. 20) “a pesquisa quantitativa recorre à linguagem matemática para descrever as causas de um fenômeno, as relações entre variáveis, etc.”. E segundo Minayo (2001) a pesquisa qualitativa trabalha com o universo de significados, motivos, aspirações, crenças, valores e atitudes, o que corresponde a um espaço mais profundo das relações, dos processos e dos fenômenos que não podem ser reduzidos à operacionalização de variáveis.

Para coleta de dados foi aplicado questionário semiestruturado acerca dos conhecimentos básicos sobre abelhas e métodos que podem ser eficazes para a sensibilização sobre a importância ecológica desses animais.

A primeira etapa do trabalho consistiu no levantamento bibliográfico sobre abelhas, relações socioeconômicas do seu cultivo, métodos e formas de se aplicar tal conteúdo em sala de aula. A segunda etapa versou na aplicação do questionário no âmbito escolar.

Após a coleta de dados, foi feita a análise utilizando o Programa Office Microsoft Excel 2013 e a discussão com base nos autores que fundamentam a pesquisa.

Resultados e Discussão

Como evidencia a Figura 1, na primeira pergunta do questionário: “Você sabe o que é uma abelha?” 68,63% dos estudantes assinalaram que são insetos responsáveis pela polinização das plantas e 23,53 % acreditam que são insetos que produzem mel para o próprio consumo. Assim, observa-se que os estudantes reconhecem a importância ecológica das abelhas como agentes polinizadores dos principais ecossistemas terrestres.

Figura 1. Definição de abelha pelos estudantes.

Fonte: Autores.



No estudo realizado por Tavares e Kened (2014) observa-se que todos os estudantes sabem reconhecer uma abelha e possuem conhecimento prévio de palavras comuns à grande maioria das pessoas como mel, flor e ferroada. No entanto, eles não conseguiam relacionar outras palavras como cera, pólen ou zangão.

Na segunda questão: “As abelhas são importantes para o meio ambiente e para o homem, por quê?” 76,46% dos estudantes consideraram que as abelhas são importantes porque ajudam na polinização de pomares para a agricultura e na reprodução das espécies vegetais e outros 11,76% acreditam que as abelhas são importantes, pois produzem mel para a alimentação das famílias de baixa renda (Figura 2). Dessa forma, percebe-se que os estudantes possuem conhecimentos sobre as principais importâncias das abelhas no ambiente natural.

Figura 2. A importância das abelhas para o meio ambiente e para o homem.

Fonte: Autores.

Durante suas pesquisas, Leite et al. (2016) perceberam que no início os alunos pensavam que as abelhas contribuíam mais para produção de mel, mas após as atividades de EA realizadas no âmbito escolar destacaram também, a produção de alimentos, a polinização e a conversação das espécies para manter equilíbrio ambiental.

Acompanhando os dados da Figura 3, sobre a pergunta: “Qual método pode contribuir para minimizar o descaso da população para com as abelhas?”, constatou-se que 31,37% dos estudantes apoiam o aumento da quantidade de criadouros (apiários) para prevenir a extinção das espécies e ainda fornecer subsídios para girar a economia; 27,45% destacam o aumento da fiscalização ambiental para prevenir e punir maus-tratos contra a espécie e outros 27,45% acreditam na disseminação de informações sobre a importância das abelhas para o meio ambiente nas escolas, por meio de palestras, vídeo-aulas e práticas de EA.

Figura 3. Método que pode contribuir para minimizar o descaso da população com as abelhas.

Fonte: Autores.

Nessa perspectiva, Pereira (2005) reforça que a criação de novas leis para minimizar esse problema não é o suficiente para que haja a preservação das espécies de abelhas, são necessários também programas de conscientização e capacitação com os produtores para que sejam capazes de mobilizar também a comunidade ao seu redor sobre o problema.

Em resposta à questão número 4: “Aponte alguma sugestão de um método mais eficaz para a conscientização da população sobre a importância da preservação das abelhas”, como mostrado na Figura 4, percebe-se que 68,63% dos estudantes apostam na implantação de medidas socioeducativas nas escolas de ensino básico, a fim de formar cidadãos conscientes frente às questões ambientais assim assegurar a conservação não somente das espécies de abelhas, mas toda a fauna e flora, que são essenciais para manutenção da vida e equilíbrio ecológico. Além disso, outros 21,57% acreditam na criação de reservas ambientais para preservação das espécies animais e vegetais. Dessa forma, observou-se que os estudantes sabem da necessidade de medidas socioeducativas no âmbito escolar, pois a EA, quando faz parte do cotidiano das crianças e adolescentes, contribui para formação de jovens mais conscientes do mundo ao seu redor, mais sensíveis quanto à necessidade de preservação de toda e qualquer forma de vida na Terra.

Figura 4. Sugestão do método mais eficaz para a sensibilização da população sobre a importância da preservação das abelhas.

Fonte: Autores.



Nesse sentido, Leite et al. (2016) afirmam que com atividades de EA realizadas no contexto escolar, é possível que os alunos percebam a importância das abelhas. Elevando a compreensão desse grupo não só para a continuidade da produção de mel, mas também para a manutenção dos recursos naturais, além da influência da ação humana no desaparecimento desse agente polinizador. Portanto, ações enfatizando essa vertente são necessárias nas escolas para que auxiliem não só a aprendizagem dos alunos sobre conteúdos ambientais, mas também lhes proporcionem o vivencial para que se construam como autênticos cidadãos.

Na questão: “O que você pode inferir, assumindo que as abelhas fossem extintas, sobre o que aconteceria com a vida no planeta?” para 60,78% dos estudantes a vida no Planeta seria grandemente afetada, uma vez que as abelhas são responsáveis diretas pela reprodução de uma vasta gama de espécies vegetais. Se elas fossem extintas, essas espécies vegetais teriam grandes dificuldades em se reproduzir e poderiam também entrar em processo de extinção, o que acarretaria um grande efeito dominó, onde a biosfera seria a grande prejudicada, incluindo a espécie humana. Outros 19,61% argumentam que o ecossistema tropical sofreria muito com a extinção das abelhas, pois há uma grande variedade de espécies de abelhas nas zonas tropicais e para 15,69% dos estudantes apenas algumas plantas deixariam de se reproduzir, mas não seria grande problema, o planeta Terra é repleto de outras espécies vegetais que poderiam suprir a necessidade de oxigênio do planeta (Figura 5).

Figura 5. Concepção dos estudantes sobre a extinção das abelhas e a vida no Planeta.

Fonte: Autores.

Por fim, a questão: “O que poderia acontecer a um ecossistema em equilíbrio, caso uma espécie de abelha desaparecesse?” 50,97% dos estudantes comentam que todo o ecossistema seria danificado, plantas teriam mais dificuldade para se reproduzir e os animais seriam diretamente afetados e outros 37,25% disseram que não haveria a produção de mel, o que incapacitaria alguns animais de se alimentar (Figura 6). Acerca dessa questão, percebe-se que os jovens posicionam-se de forma assertiva em relação às consequências da extinção de uma espécie de abelha.



Figura 6. Concepção dos estudantes sobre a extinção de uma espécie de abelha em um ecossistema em equilíbrio.

Fonte: Autores.



Leite et al. (2016) observam que quase a metade dos alunos não sabem quais as causas do desaparecimento das abelhas. Porém, após as atividades de EA foram mencionadas a utilização de agrotóxicos, desmatamento, poluição e radiação, como fatores que afetam a sobrevivência das abelhas e causam desequilíbrios ecológicos.

Considerações Finais

Constatou-se que os estudantes possuem conhecimentos sobre a importância das abelhas para o meio ambiente, enfatizam seu papel como agentes polinizadores e reconhecem o desequilíbrio ambiental, social e econômico que teremos com a extinção das abelhas. Deste modo, os alunos destacam a implantação de atividades de EA nas escolas de ensino básico, para formar jovens mais conscientes e sensibilizados com as questões ambientais, uma vez que com a EA é possível que os alunos percebam a importância de vários grupos animais e vegetais e assim construir cidadãos que compreendam a importância da preservação ambiental e o risco da extinção das espécies, como no caso das abelhas, bem como os impactos ambientais que isso causaria.

Referências



ARAUJO, N.; Ganhe muito dinheiro criando abelhas. In: ____ Como vivem as abelhas. São Paulo: Editora Distribuidora, 1982.

ARRUDA, João; BOTELHO, Breno; CARVALHO, Thiago. Diagnóstico da Cadeia

Produtiva da Apicultura: um estudo de caso. XXXI Encontro Nacional de

Engenharia de Produção, Belo Horizonte – MG, 2011.

BIESMEIJER, J. C.; SLAA, E. J. The structure of eusocial bee assemblages in Brazil. Apidologie, n. 37, p. 240-258, 2006.

BALLIVIÁN, J. M. P. P. Abelhas nativas sem ferrão. São Leopoldo: Oikos, 2008.

BRASIL. Lei Federal nº 9.795, de 27 de abril de 1999. Dispõe sobre a Educação Ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília, 27 abr. 1981. Disponível em:< http://www.mma.gov.br/port/conama/legiabre.cfm?codlegi=321>. Acesso em: 5 Jun. 2018.

CORNELISSEN, T. G.; FERNANDES, W. Insetos herbívoros e plantas de inimigos a parceiros? Ciência Hoje, v. 32, p. 24-30, 2003.

FONSECA, J. J. S. Metodologia da pesquisa científica. Fortaleza: UEC, 2002.

JACOBI, P. Educação ambiental, cidadania e sustentabilidade. Cadernos de Pesquisa, n. 118, 2003.

LEITE, R. V. V. O despertar para as abelhas: educação ambiental e contexto escolar. CONEDU-Congresso Nacional de Educação, 3., Natal. Anais… Natal: Editora Realize, 2016, p. 1-12.

PACHECO, E.; SILVA, H. P. Compromissos epistemológicos do conceito de percepção ambiental. Rio de Janeiro: Departamento de Antropologia, Museu Nacional e Programa EICOS/UFRJ, 2007.

PAREJA, L. et al. Detection of Pesticides in Active and Depopulated Beehives in Uruguay. International Journal of Environmental Research and Public Health, v. 8, p. 3844-3858, 2011.

PEREIRA, D. S.; et al. Abelhas indígenas criadas no rio grande do norte Indigenous bees created in Rio Grande do Norte state, Brazil. Acta Veterinaria Brasilica. v. 5, n. 1, p. 81-91, 2011.

PEREIRA, F. de M. Abelhas Sem Ferrão a Importância da Preservação, 2005. Disponível em: < http://www.cpamn.embrapa.br/apicultura/abelhasSemFerrao.php >. Acesso em: 02 Jul. 2018

PERUCHI, R. M. G.; GONÇALVES, L. S. Sem abelha sem alimento. Caderno de Atividades para Educação Ambiental. Rio de Janeiro: FUNBIO, 2015.

KERR, W.E.; et al. Abelha uruçu: biologia, manejo e conservação. Belo Horizonte: Fundação Aguangaú, 1996, 144p.

MINAYO, M. C. S. (Org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: Vozes, 2001.

TAVARES, F. A. T., KENED, J. Percepção dos estudantes do ensino médio sobre a importância das abelhas para o equilíbrio do ecossistema. Revista SBEnBio. n. 7, 2014, p. 1890-1898.

WILLIAMS. G. R. et al. Colony Collapse Disorder in context. Bioessays, v. 32, p.845-846, 2010.





" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">
 
Início      Cadastre-se!      Procurar      Submeter artigo      Fazer doação      Contato     Apresentação     Normas de Publicação     Artigos     Dicas e Curiosidades     Reflexão     Para sensibilizar     Dinâmicas e recursos pedagógicos     Entrevistas     Culinária     Arte e ambiente     Divulgação de Eventos     O que fazer para melhorar o meio ambiente     Sugestões bibliográficas     Educação     Você sabia que...     Plantas medicinais     Contribuições de Convidados/as     Folclore     Práticas de Educação Ambiental     Soluções e Inovações     Ações e projetos inspiradores     Gestão Ambiental     Relatos de Experiências     Notícias