ISSN 1678-0701
Número 65, Ano XVII.
Setembro-Novembro/2018.
Números  
Início      Cadastre-se!      Procurar      Submeter artigo      Fazer doação      Contato     Apresentação     Normas de Publicação     Artigos     Dicas e Curiosidades     Reflexão     Para sensibilizar     Dinâmicas e recursos pedagógicos     Entrevistas     Culinária     Arte e ambiente     Divulgação de Eventos     O que fazer para melhorar o meio ambiente     Sugestões bibliográficas     Educação     Você sabia que...     Plantas medicinais     Contribuições de Convidados/as     Folclore     Práticas de Educação Ambiental     Soluções e Inovações     Ações e projetos inspiradores     Gestão Ambiental     Relatos de Experiências     Notícias
Ações e projetos inspiradores

16/09/2018PROJETO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL SOBRE A CAATINGA REÚNE MAIS DE 130 JOVENS  
Link permanente: http://www.revistaea.org/artigo.php?idartigo=3299 
" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">

PROJETO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL SOBRE A CAATINGA REÚNE MAIS DE 130 JOVENS

Há um ano a iniciativa vem mudando a paisagem do município assim como a consciência da população acerca da identificação, preservação e valorização do bioma nativo

A vegetação do município de Pacujá, distante 305 km de Fortaleza, vem apresentando significativas melhoras. Há cerca de um ano, aproximadamente 130 estudantes de escolas municipais, privadas e profissionalizantes do  Município, vem realizando atividades de educação ambiental na zona urbana e rural. O projeto “Jovens Ambientalistas de Pacujá” promove a plantação de árvores nativas e frutíferas em substituição gradativa da exótica Nim Indiano, espécie vinda da Índia e prejudicial para a caatinga.

Coordenado pelo ambientalista Jorge de Moura, o projeto desenvolve ações como mini oficinas, palestras, caminhadas, coleta e plantio de sementes, distribuição de árvores nativas e frutíferas, além de exposições. Fora a cidade de Pacujá, as comunidades de Batoque (quilombola), Zipú (área de serra) e Bom Gosto também são contempladas.

Os jovens que antes desconheciam o Bioma Caatinga hoje são capazes de identificar espécies nativas e separar as exóticas vindas de biomas de outros países. Coletam sementes de qualidade, plantam, regam, distribuem e estão atentos ao que se passa ao redor da sua comunidade”, afirma Jorge de Moura. 

A partir das intervenções do projeto, espaços públicos (praças, escolas, hospital, postos de saúde e creches), residências, prédios públicos, calçadas e calçamentos já apresentam novas paisagens com o plantio de espécies como Pau Branco, Ipês do Brasil (cores variadas), Aroeira, Pata de Vaca, Pau Ferro, Cedro, Canafístula e Carnaubeira.

Fonte: http://twixar.me/29F3





" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">
 
Início      Cadastre-se!      Procurar      Submeter artigo      Fazer doação      Contato     Apresentação     Normas de Publicação     Artigos     Dicas e Curiosidades     Reflexão     Para sensibilizar     Dinâmicas e recursos pedagógicos     Entrevistas     Culinária     Arte e ambiente     Divulgação de Eventos     O que fazer para melhorar o meio ambiente     Sugestões bibliográficas     Educação     Você sabia que...     Plantas medicinais     Contribuições de Convidados/as     Folclore     Práticas de Educação Ambiental     Soluções e Inovações     Ações e projetos inspiradores     Gestão Ambiental     Relatos de Experiências     Notícias