ISSN 1678-0701
Número 62, Ano XVI.
Dezembro/2017-Fevereiro/2018.
Números  
Início      Cadastre-se!      Procurar      Submeter artigo      Fazer doação      Contato     Apresentação     Normas de Publicação     Artigos     Dicas e Curiosidades     Reflexão     Para sensibilizar     Dinâmicas e recursos pedagógicos     Entrevistas     Culinária     Arte e ambiente     Sugestões bibliográficas     Educação     Você sabia que...     Contribuições de Convidados/as     Práticas de Educação Ambiental     Sementes     Ações e projetos inspiradores     Gestão Ambiental     Cidadania Ambiental     Relatos de Experiências     Notícias
Relatos de Experiências

02/02/2018ECOEMPREENDEDORISMO: UMA EXPERIÊNCIA NA GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA EM EVENTOS DA UNIVERSIDADE DE FORTALEZA.  
Link permanente: http://www.revistaea.org/artigo.php?idartigo=3030 
" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">

Template for Electronic Submission of Organic Letters



ECOEMPREENDEDORISMO: UMA EXPERIÊNCIA NA GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA EM EVENTOS DA UNIVERSIDADE DE FORTALEZA

Andesson Andrade Silva
Aluno da Graduação Tecnológica em Eventos – Universidade de Fortaleza

Michelle Galvão de Souza
Aluna do Mestrado em Administração – PPGA – Universidade de Fortaleza
Professora na Graduação Tecnológica em Eventos – Universidade de Fortaleza
Graduada em Gestão de Turismo pelo CEFET – CE

Indira Guedis Guimarães

Mestre em Gestão de Negócios Turísticos – Universidade Estadual do Ceará.

Professora na Graduação Tecnológica em Eventos – Universidade de Fortaleza
Graduada em Administração de Empresas – Universidade de Fortaleza

Resumo

Este artigo tem como propósito relatar uma experiência de fomento ao empreendedorismo e à responsabilidade socioambiental junto aos alunos do curso de Graduação Executiva em Eventos da Unifor. O estudo foi focado em uma mostra de decoração sustentável denominada Recriart realizada nos dias 11 e 12 de maio de 2015 como prática integrada de organização de eventos. Verificou-se o envolvimento pessoal dos alunos na criação de produtos verdes, a articulação de parcerias com empresas e ONG’s com propósitos afins, o convite para novas edições do eventos em espaços como shoppings, secretarias de governo, barracas de praia; e o engajamento voluntário dos alunos que assumiram a liderança do evento em um grupo de estudo sobre eventos sustentáveis. Conclui-se que o Recriart, contribuiu para a melhor compreensão da cadeia produtiva verde em Eventos e para o desenvolvimento do potencial empreendedor dos alunos.

Palavras-chave: Empreendedorismo. Decoração Sustentável. Eventos Verdes.

Introdução

Diante dos grandes desafios ambientais de nosso tempo, a busca do desenvolvimento sustentável tem ganhado relevância em vários setores produtivos. Esse modo de desenvolvimento, tem na sua base um jeito de ser/estar no mundo capaz de assegurar continuidade da vida para todos.

Motomura (2015) afirma que sustentabilidade pressupõe solidariedade, uma forte consciência do coletivo e ética em seu sentido mais elevado: a busca do bem comum.

Boff (2005) apresenta a hospitalidade como uma virtude. Trata-se, antes de tudo, de uma disposição da alma, aberta e irrestrita. É comparada pelo autor ao amor incondicional, em princípio, não rejeita nem discrimina a ninguém.

Desta forma, sustentabilidade e hospitalidade são proposta de virtude e bem-viver.

Ora, o bem-viver exige espaços de convívio, ambientes que comuniquem conceitos coerentes com as escolhas pessoais e coletivas em busca do melhor equilíbrio entre as necessidades humanas e os recursos naturais. Tal busca é um desafio para muitos mercados e também um convite à inovação e empreendedorismo.

Por empreendedorismo, entende-se a disposição ou capacidade de idealizar, coordenar e realizar projetos, serviços e negócios (MOTOMURA, 2015).

Além de uma maior sensibilidade para os produtos com menor impacto ambiental, as oportunidades geradas pelo e-commerce e o aumento do consumo das classes B e C são alguns indicadores das oportunidades de alinhamento entre empreendedorismo e sustentabilidade.

O despertar do perfil lucrativo e empreendedor, renovador e rentável, deve considerar os 3Rs do plano de sustentabilidade do negócio: reduzir, reutilizar e reciclar.

[...] Reduzir, no sentido de diminuir a quantidade de lixo produzido, desperdiçando menos e consumindo só o necessário, sem exageros; Reutilizar, dando nova utilidade a materiais que na maioria das vezes consideramos inúteis e jogamos no lixo, e Reciclar, no sentido de dar “nova vida” a materiais a partir da reutilização de sua matéria-prima para fabricar novos produtos [...] (SILVA et al, 2004).

Melo Neto (1998) esclarece que no relacionamento entre a empresa e o segmento mais importante da esfera da competitividade, ou seja, seu público alvo, o evento é visto como uma ferramenta estratégica que visa a divulgar e dar conhecimento do produto/empresa, além de provocar a consciência, a fidelidade (ou preferência) de um produto. E, ainda, a força desse veículo pode contribuir para criar e ampliar a credibilidade das empresas.

Um evento que seja ecologicamente correto, economicamente viável, socialmente justo e culturalmente aceito, isto é, que busca sustentabilidade, deve levar em consideração, em seu processo de planejamento e realização, os impactos ambientais, desde a mensuração até a destinação dos resíduos gerados em sua realização, o consumo de energia elétrica e a neutralização das emissões de gás carbônico (CO2), geradas durante o evento, por meio do plantio de árvores nativas (SANTOS, 2011).

Desta forma, ao objetivo deste artigo é apresentar um estudo de caso de alinhamento entre o empreendedorismo e decoração sustentável a partir do evento Recriart realizado por uma equipe de alunos do primeiro semestre da Graduação Executiva em Eventos da Universidade de Fortaleza durante o semestre 2015.1.

Acredita-se que a relevância dessa pesquisa está em: a) contribuir para o empoderamento dos idealizadores do Recriart na perspectiva de expansão da capacidade empreendedora; b) motivar os demais alunos do referido curso para as oportunidades oferecidas pela instituição e c) aportar para formação de profissionais de eventos mais sensíveis às demandas de desenvolvimento sustentável.

Relato de Experiência

A Graduação Executiva em Eventos é um curso superior em tecnologia ofertado pela Universidade de Fortaleza (Unifor) desde 2012.1. Tem duração de quatro semestres. A disciplina Programa Integrador (PI) possui a maior carga horária entre todos os conteúdos da matriz do curso, cabe a ela proporcionar vivências práticas em organização de eventos, visitas técnicas, rodas de conversas com profissionais de mercado, estudos de caso e oficinas temáticas. O PI está presente em todos os semestre e para ele convergem a expressão dos saberes desenvolvidos também nas demais disciplinas.

O Programa Integrador (PI) fortalece o campo da pesquisa e a visão sistêmica, partindo dos fundamentos teóricos para a definição de uma estrutura de projeto específica em função do tema que o aluno irá desenvolver, considerando os aspectos fundamentais do projeto: identificação do problema, revisão de literatura e definição de uma metodologia (UNIFOR, 2011).

Desta forma, o Recriart surgiu como um projeto para compor os critérios de avaliação do PI. A proposta geral era criar um evento que tratasse da sustentabilidade. A equipe formada então por onze alunos pesquisou e escolheu realizar uma mostra de decoração sustentável.

Buscou-se a interdisciplinaridade junto à produção do evento, fazendo valer os conhecimentos, em hospitalidade, criatividade e fruição, gestão ambiental e sustentabilidade, tendência em eventos que são as disciplinas complementares ao PI durante o primeiro semestre.

O grande diferencial foi que, além de organizar a mostra de decoração sustentável, os alunos se envolveram no processo de produção dos artefatos expostos. Materiais recicláveis como pallets, garrafas pets, garrafas de vidro e outros produtos que seriam facilmente descartados foram reutilizados e ressignificados no contexto da decoração sustentável. Com criatividade a equipe organizadora do evento conseguiu transformar resíduos sólidos em objetos com valor agregado, barateando o custo do evento e reduzindo consideravelmente o impacto ambiental. O aprendizado dos 3R’s encontrou aplicação prática no Recriart.

A busca por produtos recicláveis adequados à transformação exigiu dos alunos um olhar diferenciado sobre os próprios hábitos de consumo. Além disso, o trabalho em equipe, o desenvolvimento de habilidades manuais e a pesquisa online foram fundamentais para que os produtos fossem criados durante o pré-evento e mostra de decoração sustentável atingisse os objetivos propostos pelo PI.

Imagem 01. Objetos de decoração criados pela equipe do Recriart