ISSN 1678-0701
Número 64, Ano XVII.
Junho-Agosto/2018.
Números anteriores 
Início      Cadastre-se!      Procurar      Submeter artigo      Fazer doação      Contato     Apresentação     Normas de Publicação     Resultado do prêmio     Artigos     Dicas e Curiosidades     Reflexão     Para sensibilizar     Entrevistas     Culinária     Arte e ambiente     Divulgação de Eventos     O que fazer para melhorar o meio ambiente     Educação     Você sabia que...     Plantas medicinais     Práticas de Educação Ambiental     Ações e projetos inspiradores     Cidadania Ambiental     Relatos de Experiências     Notícias
Cidadania Ambiental

14/06/2018
A CRIANÇA E A TARTARUGA AMARELA  
Link permanente: http://www.revistaea.org/artigo.php?idartigo=3179 
" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">

A CRIANÇA E A TARTARUGA AMARELA

Por Luciana Ribeiro

Certo dia, ao ministrar o cântico da tartaruga amarela (nome científico: tartaruga pente) para as crianças do maternal II numa escola brasiliense, alegrei-me quando uma delas disse com os olhinhos bem arregalados: “a tartaruga não é amarela”. Embora o animalzinho componha as riquezas da natureza, deduzo que sua opinião crítica fora emitida pelo fato de não ser tão comum quanto às outras marronzinhas que conhecemos por meio da televisão, ou da internet, ou por ter ficado espantada com sua beleza exótica, uma questão para ser refletida na educação brasileira.

Analisando a missão do educador e dos benefícios de sua comunicação pedagógica para a escola, a qual se articula por meio das músicas, teatros, brincadeiras, brinquedos, jogos e outros utilizados para motivar o processo de ensino da leitura e escrita da criança, recomendo que se faça uma adaptação mais amorosa, crítica, contextualizada para não mais nos depararmos com canções que exprimam o seguinte: “Atirei o pau no gato...” (acesse para ver a nova versão que valoriza os direitos dos animais: http://pt.shvoong.com/humanities/1829950-letra-alternativa-para-musica-atirei)

Concordo que as atividades pedagógicas devam ser prazerosas, alegres, engraçadas, mas o educador não pode permitir que sejam confundidas com a falta de sensibilidade com a vida humana e ecológica e, sobretudo, com a falta de objetivos pedagógicos que auxiliam a construção dos conhecimentos científicos (Ciências, Português, Matemática);pois a socialização entre as crianças, professores e seus familiares deve ser priorizada nos currículos escolares de forma ética e saudável.

Neste sentido educador e profissional, os responsáveis pela educação escolar - Diretor/Coordenador/Educador, juntamente com o Ministério da Educação (MEC) e do Ministério do Meio Ambiente (MMA), precisam adaptar as músicas cantadas nas escolas brasileiras, as quais mencionam nomes de animais como os ursos, os elefantes, as cobras, os bois, as minhocas como se fossem objetos de diversão das crianças; ora, todos eles compõem uma função ambiental inerente à biodiversidade que existe no meio ambiente e carecem de ser preservados com amor, consciência social e cidadania, portanto, moralizando os direitos dos animais assegurados pela Legislação Ambiental.

Conheça a tartaruga amarela:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Tartaruga-comum

http://www.tamar.org.br/tartaruga.php?cod=19

http://animais.culturamix.com/informacoes/tartaruga-cabecuda



" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">
 
Início      Cadastre-se!      Procurar      Submeter artigo      Fazer doação      Contato     Apresentação     Normas de Publicação     Resultado do prêmio     Artigos     Dicas e Curiosidades     Reflexão     Para sensibilizar     Entrevistas     Culinária     Arte e ambiente     Divulgação de Eventos     O que fazer para melhorar o meio ambiente     Educação     Você sabia que...     Plantas medicinais     Práticas de Educação Ambiental     Ações e projetos inspiradores     Cidadania Ambiental     Relatos de Experiências     Notícias