A revista precisa do seu apoio!
Desde seu nascimento em 2002, a revista tem crescido em importância e conteúdo (59 exemplares trimestrais, + de 9 milhões os acessos, avaliação QUALIS-B1 na área de Ensino), requisitando mais dedicação dos membros da equipe, que a mantém de forma independente (sem apoio financeiro externo). Para continuarmos a desenvolver este trabalho, viemos pedir o apoio da comunidade através de doações.
Às pessoas que contribuírem enviaremos um brinde-surpresa! - Editores da revistaea.org
ISSN 1678-0701
Número 59, Ano XV.
Março-Maio/2017.
Números anteriores 
Início      Cadastre-se!      Procurar      Submeter artigo      Contato     Apresentação     Normas de Publicação     Artigos     Dicas e Curiosidades     Reflexão     Para sensibilizar     Dinâmicas     Entrevistas     Culinária     Arte e ambiente     Divulgação de Eventos     O que fazer para melhorar o meio ambiente     Sugestões bibliográficas     Educação     Plantas medicinais     Práticas de Educação Ambiental     Notícias     Educação e temas emergentes     Ações e projetos inspiradores     Relatos de Experiências
Artigos

10/03/2017
USO DE ALGAS ARRIBADAS (SARGAÇO) PARA PRODUÇÃO DE ADUBO POR MEIO DE COMPOSTAGEM COMO FERRAMENTA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NUMA ESCOLA PÚBLICA DO MUNICÍPIO DE CABEDELO-PB  
Link permanente: http://www.revistaea.org/artigo.php?idartigo=2670 
" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">

USO DE ALGAS ARRIBADAS (SARGAÇO) PARA PRODUÇÃO DE ADUBO POR MEIO DE COMPOSTAGEM COMO FERRAMENTA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NUMA ESCOLA PÚBLICA DO MUNICÍPIO DE CABEDELO-PB

 

Layanna de Almeida Gomes Bastos¹ e Gil Dutra Furtado²

1. Aluna de mestrado do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente. E-mail: layannalmeida@hotmail.com

2. Orientador e professor do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente /Universidade Federal da Paraíba. E-mail: gdfurtado@hotmail.com

 

 

RESUMO:

 

            O presente artigo é fruto de uma pesquisa que será realizada com vistas à obtenção do grau de mestre junto ao Programa de Pós Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente – PRODEMA/UFPB e objetiva avaliar o uso de algas arribadas para a produção de adubo através da compostagem como ferramenta de Educação Ambiental na Escola Municipal Maria Pessoa Cavalcanti, localizada em Cabedelo – PB. O referido trabalho é de suma importância, pois pretende desenvolver nos educandos a capacidade de perceber problemas ambientais locais e propor soluções criativas a fim de gerar um pensamento crítico, na perspectiva de formar cidadãos preocupados com as questões ambientais e corresponsáveis pelo mundo em que vivem.

PALAVRAS-CHAVE: Algas arribadas.Compostagem.Educação ambiental.

 

ABSTRACT:

This article is the result of a research that will be carried out with a view to obtaining the master's degree from the Postgraduate Program in Development and Environment - PRODEMA / UFPB and aims to evaluate the use of algae harvested for the production of fertilizer through composting as a tool for Environmental Education at the Maria Pessoa Cavalcanti Municipal School, located in Cabedelo - PB. This work is extremely important because it aims to develop in students the capacity to perceive local environmental problems and propose creative solutions in order to generate critical thinking, with a view to educating citizens concerned with environmental issues and responsible for the world

KEY-WORDS: Arboricated algae. Composting. Environmental education

 

1 Introdução

 

A questão ambiental é, atualmente, um dos temas considerados estratégicos nos compromissos e tratados internacionais (SOARES et al., 2004). Porém, o modelo de desenvolvimento estabelecido a partir da Revolução Industrial gerou um aumento qualitativo e quantitativo no processo de destruição da natureza (MACIEL et al., 2010). De acordo com Leff (2003) “A crise ecológica é a crise do nosso tempo. O risco ecológico questiona o conhecimento do mundo”.

Nesta perspectiva a educação ambiental não pode ser vista apenas como um tema transversal. Ela é parte da vida dos educandos e necessário se faz a busca de novas alternativas metodológicas no seu repasse ao alunado, de forma a favorecer uma aprendizagem significativa, prazerosa, estabelecendo uma conexão entre a teoria e a prática, entre o que é estudado e a vivência no mundo exterior (AUSUBEL, 1963 apud LEMOS, 2007). É preciso propor a construção de rotas de aprendizagem capazes de construir um cidadão mais crítico, pensante, ético, com pensamento ecologizado e ecologizante (MORIN et al., 2003), corresponsável pelo mundo que vive.

O município de Cabedelo está localizado na região metropolitana, próximo a João Pessoa e é conhecido por possuir belas praias. Mas apesar da íntima relação com a natureza, a Educação Ambiental precisa ser melhor disseminada nas escolas da rede municipal no intuito de estimular os alunos a conhecerem melhor sua cultura, seu próprio meio ambiente e a riqueza de sua biodiversidade, com fins de identificar situações-problema e propor soluções criativas para um desenvolvimento sustentável.

Neste sentido o presente trabalho é de extrema importância, pois visa desenvolver a consciência ambiental a partir do reaproveitamento de algas arribadas das praias localizadas no Centro de Cabedelo para a produção de adubo por meio de compostagem que será utilizado na horta da Escola Municipal Maria Pessoa Cavalcanti, localizada neste município. Além de possuir caráter interdisciplinar, pois pretende trabalhar de forma integrada com os professores das diferentes disciplinas desta unidade de ensino.

Tem-se por objetivo geral avaliar o uso de algas arribadas para a produção de adubo através da compostagem como ferramenta de Educação Ambiental na Escola Municipal Maria Pessoa Cavalcanti, localizada em Cabedelo - PB. E como objetivos específicos: investigar a percepção dos alunos acerca das possíveis utilidades das algas arribadas para a economia local e o meio ambiente e instruí-los sobre o processo de compostagem; sensibilizar a comunidade escolar para a prática do reaproveitamento da matéria orgânica disponível no ambiente na forma de algas para adubação; implementar uma compostagem e uma horta na Escola Municipal Maria Pessoa Cavalcanti, para cultivar hortaliças que poderão, posteriormente, ser utilizadas na merenda escolar; comparar estatisticamente o crescimento e desenvolvimento das hortaliças que receberam o adubo oriundo da compostagem das algas arribadas com as que não receberam; confeccionar uma cartilha com os resultados obtidos para a comunidade.

As hipóteses a serem testadas serão as de que: o adubo produzido com as algas arribadas por meio de compostagem será de boa qualidade e irá auxiliar no crescimento das hortaliças da horta implantada na Escola Municipal Maria Pessoa Cavalcanti, Cabedelo-PB, podendo servir como fonte de renda para a comunidade local; O conhecimento acerca do uso de algas arribadas para produção de adubo por compostagem irá auxiliar no desenvolvimento de uma consciência ambiental nos alunos da Escola Municipal Maria Pessoa Cavalcanti, Cabedelo-PB.

 

2 Procedimentos metodológicos

 

2.1. Delimitação e caracterização da área de estudo

A pesquisa será realizada no município de Cabedelo-PB, visto que o local é cercado por praias, com grande número de algas arribadas que atualmente não possuem nenhum aproveitamento pela comunidade local. As praias selecionadas para a coleta das algas serão as do Dique e do Miramar, por estarem localizadas próximas a escola escolhida para o estudo.

O projeto selecionou como amostra alunos do 6º Ano dos turnos manhã e tarde da Escola Municipal Maria Pessoa Cavalcanti, localizada na Rua Aderbal Piragibe, s/n, Centro, Cabedelo-PB, que trabalharão diretamente com o projeto em todas as suas etapas. Esta participação será acordada com os alunos e seus responsáveis, uma vez que os mesmos serão menores de idade. Não obstante, toda a comunidade escolar será contemplada, pois em algum momento, estará atuando direta ou indiretamente em alguma atividade desenvolvida no decorrer da pesquisa. Este público foi escolhido por apresentar um representativo número de estudantes residentes no litoral cabedelense, de forma que estes sejam multiplicadores das ideias disseminadas no estudo.

 

2.2. Métodos e técnicas

 

Levantamento do conhecimento dos alunos sobre os possíveis usos das algas arribadas

 

Será feito um levantamento através de entrevistas e aplicação de questionários com os alunos, para levantar dados sobre a percepção que possuem a respeito das algas arribadas em dois momentos. O primeiro será no início da pesquisa para verificar o conhecimento prévio dos educandos a respeito da importância e utilização destas algas. O segundo será ao fim do projeto para verificar o grau de sensibilização para o reaproveitamento das algas e de que maneira esta ação está relacionada ao desenvolvimento sustentável desta região. Nestes questionários serão contempladas questões relacionadas a: importância das algas; utilidade do sargaço; seu papel no meio ambiente (papel do aluno). Será observada a Resolução 510/2016, no tocante a ética na pesquisa e as autorizações deverão ser assinadas pelos pais/responsáveis uma vez que os alunos serão menores de idade.

 

Instrução sobre compostagem

 

A princípio serão ministradas palestras com a finalidade de instruir os alunos sobre a compostagem, sua importância e finalidades. Posteriormente, os alunos irão realizar a coleta das algas arribadas e auxiliar no processo de produção do composto. A compostagem será realizada com algas marinhas lavadas, seguindo a metodologia de camadas sobrepostas de terra e matéria orgânica, sendo ao final, perfurada com um cano de PVC para a troca de gases conforme Araújo (2016). Será realizada a análise química e física do composto no Laboratório de Química e Fertilidade do Solo da Universidade Federal da Paraíba na cidade de Areia-PB, onde utilizarão metodologia apropriada para a realização destes.

 

Implantação de horta suspensa

 

Será construída uma horta suspensa, seguindo orientações técnicas de um agrônomo, utilizando 60 unidades de garrafas pet na área do pátio da escola como forma de verificar a eficiência da adubação com o composto dealgas. O adubo será usado no cultivo da horta como forma de praticar educação ambiental no desenvolvimento desta. Faremos a observação da macrobiologia do solo e das plantas. Haverá um grupo controle de 30 unidades que não receberá o composto a fim de comparar estatisticamente o crescimento das hortaliças em solo adubado e não adubado.

 

Confecção de cartilha para a comunidade

 

Com base nos dados obtidos ao longo da pesquisa será elaborada uma cartilha para distribuição com a comunidade local a fim de propagar os conhecimentos sobre o processo de compostagem de algas arribadas e sua utilização como adubo para hortas.

 

 

3. Resultados esperados

 

O presente estudo pretende sensibilizar, mobilizar, informar e chamar os alunos da rede municipal de Cabedelo a participarem de forma ativa e dinâmica da defesa do meio ambiente local. Conscientizando-os do uso sustentável dos recursos naturais através da utilização das algas como adubo orgânico e da vivência interativa em todo o processo, desde o constructo teórico dos conceitos, à implementação de uma horta na escola, à comparação do crescimento e desenvolvimento das hortaliças adubadas e não adubadas pela compostagem das algas arribadas e a utilização das mesmas na própria merenda escolar.

 

Almeja também documentar um referencial teórico que servirá de lastro para posteriores estudos sobre a temática, assim como propor uma reflexão e empoderamento da comunidade escolar no sentido de tornar cada um de seus partícipes agentes de transformação do espaço em que vivem responsáveis pelo desenvolvimento sustentável, que alia o desenvolvimento econômico em harmonia com a natureza.

 

Referências

 

 

ARAÚJO, N. H. Produção de Composto a partir de Algas Marinhas Arribadas como Alternativa para Adubação de Hortaliças. 2016. 66f. Dissertação de Mestrado, UFPB, Programa de Desenvolvimento em Meio Ambiente - PRODEMA, Paraíba/PB, 2016.

 

 

LEFF, E. (Coord.). A complexidade ambiental. São Paulo: Cortez, 2003.

 

LEMOS, E. S. (Re)situando a Teoria de Aprendizagem Significativa na prática docente, na formação de professores e nas investigações educativas em Ciências. Revista ABRAPEC, v. 5, n. 3, 2007.

 

MACIEL, J. L.; WACHHOLZ, C. B.; ALMINHANA, C. O. BITAR, P. G.; MUHLE, R. P. Metodologias de uma Educação Ambiental Inclusiva. Revista EGP, v. 1, n. 1, 2010.

 

 

MORIN, E.; ROGER, C. E.; MOTTA, R. D. D. Educar na era planetária: O pensamento complexo como método de aprendizagem pelo erro e incerteza humana. São Paulo: Cortez e UNESCO, 2003.

 

 

SOARES, A. M. D.; OLIVEIRA, L. M. T.; PORTILHO, E. S.; CORDEIRO, L. C.; CAVALCANTE, D. K. Educação ambiental: construindo metodologias e práticas participativas. In: II Encontro da ANPPAS, 02., 2004, Indaiatuba. Anais do II Encontro da ANPPAS. Indaiatuba: ANPPAS, 2004.

 

 

 



" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">
 
Início      Cadastre-se!      Procurar      Submeter artigo      Contato     Apresentação     Normas de Publicação     Artigos     Dicas e Curiosidades     Reflexão     Para sensibilizar     Dinâmicas     Entrevistas     Culinária     Arte e ambiente     Divulgação de Eventos     O que fazer para melhorar o meio ambiente     Sugestões bibliográficas     Educação     Plantas medicinais     Práticas de Educação Ambiental     Notícias     Educação e temas emergentes     Ações e projetos inspiradores     Relatos de Experiências