ISSN 1678-0701
Volume VIII, Número 30
Dezembro/2009-Fevereiro/2010.
Números  
Início      Cadastre-se!      Procurar      Área de autores      Contato     Apresentação     Normas de Publicação     Artigos     Reflexão     Para sensibilizar     Dinâmicas e recursos pedagógicos     Entrevistas     Saber do Fazer     Culinária     Arte e ambiente     Divulgação de Eventos     Educação     Contribuições de Convidados/as     Trabalhos Enviados
 
Trabalhos Enviados

No. 30 - 12/12/2009
Energia Hoje e Amanhã  
Link permanente: http://www.revistaea.org/artigo.php?idartigo=793 
" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">

LUCIANA FOFONKA

 ENERGIA HOJE E AMANHÃ

 

LUCIANA FOFONKA (lufofonka_uab@yahoo.com.br)

SILVANE DOS SANTOS RAMOS

RESUMO

 

Energia hoje e amanhã é uma das maiores preocupações do mundo na atual. Com base nesta problemática que este projeto de aprendizagem foi desenvolvido no Instituto Estadual de Educação Santo Antônio (Santo Antônio da Patrulha, RS), nas turmas de 2º e 3º ano do Ensino Médio e 3º do Curso Normal e na Escola Estadual de Ensino Médio Morada do Vale I (Gravataí, RS) com os alunos do 2º ano do Ensino Médio tendo como objetivo principal introduzir o uso das mídias e tecnologias no ambiente escolar como forma de pesquisa e socialização dos assuntos: “energia e impactos ambientais”, identificando as diferentes formas de gerar energia, os benefícios e malefícios que envolvem cada uma dessas formas de energia, impactos ambientais relacionados, alternativas para evitar ou diminuir tais impactos. Com enfoque na importância dos recursos tecnológicos e na educação ambiental, este projeto trabalhou a utilização das mídias (computador, TV, vídeo) e a utilização de panfletos informativos como forma de divulgar aspectos sobre os temas abordados. A metodologia utilizada priorizou o envolvimento do aluno, a pesquisa, a troca de conhecimentos e o uso de diferentes mídias e novas tecnologias no desenvolvimento do mesmo. Inicialmente foi feita a sensibilização e a apresentação do conteúdo pelo professor aos alunos, envolvendo os conteúdos, com auxilio do Power Point, DVD, TV, o livro texto da turma e livros da biblioteca da escola. Logo após os alunos encaminharam-se à biblioteca, onde em grupos, pesquisaram na internet, em livros, em jornais e outros impressos as questões que gostariam de aprofundar e em seguida foram ao auditório para assistir a um documentário sobre o assunto “Energias”. Posteriormente cada grupo confeccionou uma experiência ou maquete, montaram um trabalho escrito utilizando um editor de texto, com o auxílio do professor e planejaram a forma de apresentação do trabalho. Cada grupo produziu um vídeo no Movie Maker ou slides no Power Point para apresentação e socialização dos principais aspectos do tema escolhido. Os grupos de alunos do Instituto Estadual de Educação Santo Antônio confeccionaram no computador folhetos informativos que foram impressos para serem distribuídos na feira do conhecimento da escola, abordando as questões: Vantagens e desvantagens, formas de economizar e impactos ambientais dos diferentes tipos de transformação de energia. Já os alunos da Escola Estadual de Ensino Médio Morada do Vale I confeccionaram os mesmos tipos de panfletos e distribuíram para as demais turmas de ensino médio da Escola.

 

Palavras-chave: energia; impactos ambientais; mídias; tecnologias

 

 

INTRODUÇÃO

  

Este projeto de ensino-aprendizagem enfoca a construção do conhecimento tendo como ponto de partida os avanços tecnológicos que constantemente nos deparamos, sendo que estes avanços tecnológicos inevitavelmente devem ser incorporados à educação, pois, a presença inegável da tecnologia na sociedade atual constitui a primeira base para que haja necessidade de sua presença na escola. De forma que “a escola não pode ignorar o que se passa no mundo. Ora, as novas tecnologias da informação e da comunicação transformam espetacularmente não só nossas maneiras de comunicar, mas também de trabalhar, de decidir, de pensar” (PERRENOUD apud OLIVEIRA, 2001, p. 7). Por conceber a educação de maneira extensa e tendo em vista a perspectiva da educação ambiental, este projeto faz uso de novas tecnologias e diferentes mídias no seu desenvolvimento e no processo de ensino-aprendizagem trabalhando o tema “Energia hoje e amanhã” que atualmente é uma das maiores preocupações da humanidade.

Na busca da integração das TICS ao ambiente escolar o desenvolvimento do tema trabalhou-se diferentes tipos de energia e seus diferentes aspectos, produzindo um vídeo no Movie Maker e/ou slides no Power Point, um folheto informativo e uma atividade prática que envolvesse o tema escolhido. Assim foi enfatizada neste projeto a integração de diferentes recursos tecnológicos e mídias no processo do ensino-aprendizagem a fim de tornar esse processo mais eficaz e prazeroso, interagindo intimamente com os conteúdos abordados - energia e impactos ambientais relacionados, bem como alternativas para evitar ou diminuir tais impactos.

  

1        OBJETIVOS

  

1.1 OBJETIVO GERAL

  

Introduzir o uso das mídias e tecnologias como forma de pesquisa e socialização do assunto “Energia e impactos ambientais”, visando mais dinamismo e eficácia no processo de ensino-aprendizagem.

 

 1.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS

 

 ·        Introduzir novas mídias e tecnologias como: DVD, computador, internet, programas de computador (softwares PowerPoint e ou Movie Maker), e demais recursos como livros, jornais, revistas, TV e vídeos, panfletos e informativos para trabalhar os temas energia e impactos ambientais relacionados;

·        Reconhecer formas tradicionais e alternativas de transformar energia, os benefícios e os malefícios dos meios de sua captação, visando uso adequado, bem como a importância da economia de energia, utilizando para tanto pesquisas na internet, em livros, jornais, revistas, TV e vídeos e outros recursos que se façam necessários;

·         Produzir um vídeo e/ou slide, um panfleto informativo e uma maquete (experiência e ou atividade prática) com os principais aspectos envolvidos nos assuntos escolhidos a partir dos temas energia e impactos ambientais relacionados.

·         Sensibilizar os alunos para uma conscientização ambiental referente à economia e conservação de nossos recursos naturais;

  

2        JUSTIFICATIVA

 

Tendo em vista os avanços tecnológicos que acontecem quase que instantaneamente no nosso dia-a-dia e sabendo que os alunos convivem, interagirem e estão sempre em contato com os mesmos no seu cotidiano, acreditamos que a escola como um ambiente que visa o sucesso na aprendizagem e tendo o professor como elemento importante e facilitador desse processo, deve buscar novas metodologias que propiciem o desenvolvimento da aprendizagem e a integração dos recursos tecnológicos e das Mídias. Essa integração deve ocorrer de forma que elas sejam incorporadas ao cotidiano escolar como base para a construção do conhecimento, possibilitando que o aluno desenvolva o raciocínio, tornando-o sujeito ativo na busca da sua aprendizagem, bem como desenvolvendo nele a consciência da sua responsabilidade com o seu aprendizado.

Assim acreditamos que a melhor maneira de ensinar é aquela que propicia aos alunos o desenvolvimento de competências para lidar com a sociedade atual, que enfatiza a autonomia do aluno para busca de novos conhecimentos. Para isso, a escola deve oferecer sentido a tudo que se aprende em sala de aula, logo é fundamental que o aluno esteja comprometido e envolvido com o processo de aprendizagem. Devemos propiciar um conhecimento integrando aspectos da natureza, sociais e humanos estimulando a curiosidade do aluno para compreender relações entre fatores que podem interferir na construção e no desenvolvimento do ser humano.

Deste modo é preciso que os recursos tecnológicos e as mídias sejam integrados e estejam interligados intimamente ao tema do projeto “Energia: Hoje e Amanhã”, de modo a contribuir e dinamizar o processo de ensino-aprendizagem. Acreditamos que é urgente repensar o papel da escola nas questões de ensino-aprendizagem, visto que, o tipo de educação tradicional preponderante nos dias de hoje não atende as necessidades da sociedade atual, que vive um processo de grande desenvolvimento tecnológico e necessita de pessoas com grande capacidade de posicionar-se criticamente e de forma reflexiva perante as suas escolhas, bem como definir suas prioridades no cotidiano.

Nesse contexto este projeto justifica-se pela necessidade de integrar as tecnologias e as mídias no âmbito escolar, relacionando com a temática em questão (energia e impactos ambientais) que exige uma mudança de postura frente à possibilidade de escassez de energia no futuro, visando uma mudança na educação tradicional a fim de atender as necessidades reais do aluno que vive em uma sociedade com grandes avanços no campo tecnológico e precisa estar preparado para atender as expectativas da mesma.

   

3        REFERENCIAL TEÓRICO

  

3.1 Mídias e Tecnologias na Educação

 

A inserção das tecnologias e mídias na educação pode acarretar grandes modificações e ocasionar alterações radicais no ensino tradicional, tendo como prioridade uma proposta pedagógica que evidencie o desenvolvimento do raciocínio crítico e o método de pesquisa.

Segundo Prata:

 

A integração das tecnologias como TV, vídeos, computadores e internet ao processo educacional, pode promover mudanças bastante significativas na organização e no cotidiano da escola e na maneira como o ensino e a aprendizagem se processam, se considerarmos os diversos recursos que estas tecnologias nos oferecem (...). (2002, p. 77).

 

Contudo segundo Valente (1998), o computador tem sido usado na educação como máquina de ensinar que consiste na informatização dos métodos de ensino tradicionais; o professor implementa no computador uma série de informações, que devem ser passadas ao aluno na forma de um tutorial, exercício e prática ou jogo. Desta forma o computador não contribui para a construção do conhecimento, pois a informação não é processada, mas simplesmente memorizada.

Deste modo, segundo o professor José Manoel Moran (2007):

 

Educar numa sociedade em mudanças rápidas e profundas nos obriga a reaprender a ensinar e a aprender, e construir modelos diferentes dos que conhecemos até agora. Ensinar e aprender hoje não se reduz a estar um tempo na sala de aula. Implica em modificar o que fazemos dentro da sala de aula e organizar ações de pesquisa e de comunicação que permitam o professor e alunos continuaram aprendendo em ambientes virtuais acessando paginas na internet, onde encontram textos, novas mensagens, salas de aulas virtuais, etc. Na integração de mídias, a leitura de palavras, imagens, gráficos, sons, outras mídias e hipermídia evidencia-se como um elemento fundamental ao desenvolvimento do aluno-cidadão e à sua inclusão social. Para enfrentar esse contexto os professores devem promover o diálogo do aluno com o mundo e com todos os tipos de mensagem com as quais convive. Tudo isso pressupõe estabelecer inter-relações entre imagem, leitura e escrita; despertar o olhar do aluno para a cultura, as artes e o pensar.

 

Nesta perspectiva as novas tecnologias e as mídias como qualquer outro recurso didático deve interagir e integrar-se ativamente no processo de ensino-aprendizagem em favor da construção do conhecimento. Para D’Ambrósio (1999), "Educação é ação. Um princípio básico é que toda ação inteligente se realiza mediante estratégias que são definidas a partir de informações da realidade. Portanto, a prática educativa, como ação, também estará ancorada em estratégias que permitem atingir as grandes metas da educação." Portanto, creio que o professor deve descobrir uma metodologia que faça com que o aluno pesquise, raciocine , busque, formule novos conceitos e construa o seu próprio conhecimento evitando apenas transformar o uso destas tecnologias em meros aparelhos destinados à cópia, ao registro, ao entretenimento e a jogos divertidos, evitando que eles se tornem simplesmente cadernos diferentes, sofisticados e modernos.

De acordo com Valente (1999),

 

Não basta colocar o aprendiz na frente do computador, é necessário que haja a mediação do professor, que será responsável por auxiliar na definição do tema da atividade proposta, esclarecer as dúvidas que irão surgir dialogar estimulando os alunos e orientá-los nos momentos em que surgirem as dificuldades.

 

E deste modo entra o papel do educador ao escolher os softwares que serão utilizados nas suas aulas. Os mesmos devem oferecer experiências que vão permitir que o aluno desenvolva habilidades importantes e não somente como fonte de consultas, tornando assim o aluno elemento ativo no processo de construção do conhecimento.

Portanto, o professor tendo como intenção ensinar novos conceitos, ele deve usar de diferentes estratagemas para que a aprendizagem aconteça e atualmente como as tecnologias estão presentes no dia-a-dia do aluno, cabe ao professor trazê-la para a atmosfera escolar de forma a auxiliar a aprendizagem, pois segundo Enteado (2000): “Professores devem ser parceiros na concepção e condução das atividades com TI (Tecnologias Informáticas) e não meros espectadores e executores de tarefas”.

 

3.2 Energia

 

A energia é um insumo indispensável ao desenvolvimento do planeta. Desde a primeira revolução industrial, quando o carvão mineral substituiu a lenha como fonte dominante, as energias fósseis se tornaram importantes para a economia. A energia das máquinas foi gradativamente substituindo o trabalho humano, dos animais e daquele obtido a partir das energias renováveis como a biomassa e a eólica. As matérias-primas obtidas a partir de energias fósseis substituíram progressivamente as naturais, principalmente a madeira. Esse processo de uso das energias fósseis se intensificou e trouxe o uso de novas fontes de energia como o petróleo, o gás natural e a hidroeletricidade (FURTADO, 2009).

A energia elétrica é a forma de energia mais utilizada no mundo. Ela pode ser obtida de várias maneiras, sendo a principal fonte as usinas hidrelétricas.

As fontes de energia podem classificar-se em (SIMBIOSE DE PAZ, 2009):

§        Fontes de energia primárias: ocorrem livremente No meio ambiente. Ex.: Sol, água, vento, gás natural, petróleo bruto…

§        Fontes de energia secundária: resultam de outras. Ex.: eletricidade, gasolina, petróleo…

As fontes de energia primárias classificam-se em:

§       Fontes de energia renováveis: são aquelas que se renovam continuamente no meio ambiente, sendo inesgotáveis. 

§       Fontes de energia não renováveis: são aquelas cujas reservas se esgotam, já que seu processo de formação é muito lento comparado com o ritmo de consumo do planeta;

 

Existem várias formas de obtenção de energia segundo o Mundo Educação (2009) e ABC da Energia (2009):

§        Energia solar: é proveniente da fonte inesgotável - Sol. Utilizam painéis solares que possuem células fotoelétricas para transformar a energia proveniente dos raios solares em energia elétrica. Tem a vantagem de não produzir danos ao meio ambiente. As células solares, também chamadas células fotovoltaicas, podem ser encontradas em pequenas aplicações como máquinas de calcular ou até em naves espaciais. Funciona da seguinte maneira: Quando a célula solar fica exposta ao sol, os elétrons saem do seu núcleo deslocando-se. Eles movem-se para a superfície da placa solar. As duas extremidades da célula solar estão ligadas por um fio condutor elétrico; assim, o movimento dos elétrons gera uma corrente elétrica. A energia elétrica da célula solar pode então ser usada diretamente nas máquinas de calcular.

§        Energia nuclear: energia térmica transformada em energia elétrica. É produzida nas usinas nucleares por meio de processos físico-químicos. A fissão nuclear consiste em separar o núcleo de um átomo. A separação do núcleo gera energia luminosa e calorífica.

§        Energia eólica: utilizada para produzir energia mecânica nos moinhos e com o auxílio de turbinas, para produzir energia elétrica. É atraente por não causar danos ambientais e ter custo de produção baixo em relação a outras fontes alternativas de energia. O vento forte pode rodar as lâminas de uma turbina adaptada para o vento. A ventoinha da turbina está ligada a um eixo central que contém em cima um fuso rotativo. Este eixo chega até uma caixa de transmissão onde à velocidade de rotação é aumentada. O gerador ligado ao transmissor produz energia elétrica.
A energia elétrica também pode se transformar em outros tipos de energia ao chegar às residências ou em indústrias:
*Energia térmica: quando a energia elétrica é transformada em energia térmica, como, por exemplo, o ferro de passar.
*Energia sonora e energia luminosa: iluminação em nossas casas pela transformação da energia elétrica, bem como o televisor nos permite receber a energia sonora.

§        Energia mecânica: usada nas indústrias automobilísticas para trabalhos pesados.

§        A energia do mar: Neste momento, o aproveitamento da energia do mar é apenas experimental e raro. Existem três maneiras de produzir energia usando o mar: ondas, marés e diferenças de temperatura dos oceanos.

§        A energia Biomassa: A biomassa são restos e sobras de toda a espécie: árvores mortas, ramos de árvores, restos de relva cortada, cascas de árvores e serradura que sobram nas carpintarias, sobras de colheitas, cascalho, produtos de papel e outros objetos que colocamos fora. Pode ser aproveitada para produzir eletricidade reduzindo a necessidade de recorrer a outras fontes de energia. O uso da biomassa não contribui para o aquecimento global da Terra, pode ser reutilizada e transformada em outros produtos como o papel e fertilizantes; acumula-se menos lixo nas lixeiras e é necessária menos terra para depositar o lixo.

 

 3.3 Impactos Ambientais e  Energias Renováveis

 

§       Energia solar:  Através de uma central fotovoltaica altera a paisagem existente e o equilíbrio natural.

§       Energia eólica:  Os parques eólicos alteram a paisagem e se forem fixados em rotas migratórias pode provocar a morte de muitas aves.

§       Energia hidráulica:   As centrais hidroelétricas (barragens) ao provocarem inundações alteram o equilíbrio dos ecossistemas.

§       Energia da biomassa:  A combustão gerada pela produção de energia, liberta gases nocivos e partículas para a atmosfera, contribuindo para o aquecimento global.

§       Energia da geotérmica:  pela libertação de vapor a alta pressão ocorre poluição sonora e a libertação de calor altera o ecossistema em redor.

§       Energias Não Renováveis - Energia nuclear:  Muito perigosa.  Se ocorrer acidente libera radioatividade que é nociva e  permanece no meio por muito tempo.

§       Energia dos combustíveis fósseis: Alteram os hábitats naturais A queima dos combustíveis liberta para a atmosfera gases poluentes, sendo que a sua exploração conduz aos seus esgotamento já que as reservas são cada vez menores.

 

3.4 Conservação da Energia

 

A conservação de energia de ser aplicada em diversos níveis, tais como (FÍSICO MALUCO, 2009):

§        Eliminação de desperdícios;

§        Aumento da eficiência das unidades consumidoras de energia e geradoras de energia;

§        Reaproveitamento dos recursos naturais pela reciclagem e redução do conteúdo energético dos produtos e serviços;

§        Mudança dos padrões de consumo em favor de produtos e serviços que requerem menor uso de energia.

Vivemos num mundo que a cada vez mais consumimos energia sem preocupação e iniciativas concretas para sua conservação. O aumento do consumo de energia, com base nos modelos atuais, implica investimentos que podem resultar em degradação ambiental.

É importante planejar formas de garantir a energia respeitando critérios racionais e adequados, isto é, baseando-se num desenvolvimento sustentável.

 

 

 

 

 4                    METODOLOGIA

 

 A metodologia utilizada neste projeto de estudo, que foi aplicado nas turmas segundo (42B) e terceiro ano (51A) do Ensino Médio e no terceiro normal do Instituto Estadual de Educação Santo Antônio, na disciplina de Física e nos segundos anos (206, 207) do Ensino Médio da Escola Estadual de Ensino Médio Morada do Vale I, na disciplina de Biologia, priorizou o uso do computador, o uso os softwares PowerPoint e ou Movie Maker e do folheto informativo como forma de socialização da temática “energia e impactos ambientais”, o uso da TV, o uso do vídeo e tecnologias diferentes no desenvolvimento do mesmo, bem como o envolvimento do aluno, a pesquisa, a troca de conhecimentos e a construção do conhecimento.

Após um momento de sensibilização, utilizando TV, vídeo, o PowerPoint e livros que contenham o tema de pesquisa, foi promovido um espaçoso para debate sobre as diferentes formas e fontes de energias, impactos ambientais relacionados, como economizar energia... e assim escolheram um tema para aprofundar estudos e organizar seu trabalho.

Em grupos, organizaram seus projetos onde constava: o título, o que sabiam sobre a temática, o que desejavam saber, onde iriam realizar suas pesquisas (na web, em livros, em revistas, em jornais e em campo) e qual o tipo de energia que iriam trabalhar no grupo. Foi feito agendamento para os grupos, na biblioteca, de horários de pesquisa na Web. Com auxílio do professor, efetivaram as pesquisas e definiram atividades práticas as quais foram feitas de acordo com o tema.

Tendo em vista a construção do conhecimento, a socialização, a utilização do computador e impressos os alunos elaboraram vídeos e/ou slides, folhetos informativos, experiência ou atividade prática, bem como um trabalho escrito que foi entregue ao professor ao final da apresentação do trabalho. A produção dos vídeos/slides e dos panfletos informativos foram orientados pelo professor de física e de biologia, com a ajuda do professor de Língua Portuguesa. Foram utilizados os recursos tecnológicos e mídias do computador e internet. A reprodução e apresentação dos mesmos foram feitos com o auxílio do DVD e TV da escola, contudo os grupos que tinham computador, notebook e internet utilizaram os recursos próprios na apresentação, na pesquisa e no desenvolvimento do trabalho.

A produção dos panfletos foi orientada pelo professor de Língua Portuguesa os quais tiveram como eixo principal, os benefícios e malefícios (impactos ambientais negativos) ocasionados pelas diferentes formas de gerar energia e formas de economizar energia.

 

5   CRONOGRAMA

 

 

ATIVIDADES

AGO

SET

OUTUB

NOVEM

1. Sensibilização com DVD e vídeos do youtobe e exposição de conteúdo energia

X

 

 

 

2. Escolha do assunto envolvendo o tema energia a ser pesquisado utilizando os recursos da biblioteca como computadores, livros, internet, jornais e revistas, etc

X

 

 

 

3. Pesquisa na internet livros, revistas, jornais sobre o assunto escolhido pelos grupos.

X

X

 

 

4. Planejamento e organização dos trabalhos dos grupos.

X

 

 

 

5. Confecção e redação dos slides no Power Point e Movie Maker, panfletos informativos, experiências e maquetes utilizando os computadores da biblioteca e outros recursos necessários com o tema energia.

X

X

X

 

6. Apresentação dos slides, dos panfletos para o professor e alunos da turma.

 

 

X

 

7. Participação na Feira de Ciências e tecnologia do IEESA, ou seja, apresentação dos slides, das maquetes e distribuição de panfletos como forma de socialização dos conhecimentos adquiridos (para IEESA) e distribuição de panfletos para os demais alunos para EEEMMVI.

 

 

X

 

8. Participação de três grupos do projeto, escolhidos pela direção da escola, na Feira de Tecnologia do Polo da UFRGS e FURG DE SAP (para IEESA).

 

 

X

 

9. Avaliação do projeto pelos grupos (alunos).

 

 

 

X

 

  

6         RESULTADOS

  

Durante o desenvolvimento do trabalho verificou-se que os alunos tiveram interesse em desempenhar as atividades propostas, estavam sempre na biblioteca pesquisando sobre o assunto na internet, nos livros jornais e revistas e buscando ajuda dos professores para o desenvolvimento dos slides e dos panfletos. Também buscaram trazer o assunto para sua realidade, associaram a Física e a Biologia ao seu dia a dia, como por exemplo, um grupo trabalhou energia eólica para entender como funciona um Parque Eólico que se localiza no Município vizinho de Osório, já outro grupo pesquisou energia das hidrelétricas para entender como a energia elétrica chega as nossas casas, entre outras associações.

Todos os grupos que participaram do projeto demonstraram ter conhecimento do assunto apresentado, bem como desenvolveram criativos vídeos e slides no Movie Maker ou PowerPoint e panfletos muito bem elaborados. Todos apresentaram maquetes e experiências para demonstrar os conteúdos pesquisados.

Ao final do projeto todos os grupos do Instituto Estadual de educação Santo Antônio apresentaram os seus trabalhos na Feira de Ciência e tecnologia do IEESA, onde três trabalhos do Ensino Médio foram escolhidos para a Feira de Ciência e Tecnologia do POLO DA UFRGS de SAP.

Ao final do projeto, os alunos fizeram a avaliação do mesmo, apontando pontos negativos e positivos, que podem ser verificados em anexo.

 

CONSIDERAÇÕES FINAIS

 

A partir dos resultados do trabalho desenvolvido consideramos que o emprego de distintos e adequados recursos no incremento da educação são muito importantes, pois, eles serviram de elo entre o conhecimento e aprendizagem. O uso adequado de determinado recurso propicia a construção do conhecimento gerando a apreensão do mesmo. Deste modo acreditamos que ao escolher o recurso, o professor deve ter o comprometimento em pensar numa metodologia que melhor se adapte a seus alunos, para que a aprendizagem aconteça de forma dinâmica e eficiente.

É imprescindível a integração das novas mídias e de novos recursos tecnológicos na educação, entretanto é importante salientar que tanto a informática assim como qualquer outro recurso didático deve interagir e integrar-se ativamente no processo de ensino-aprendizagem, sempre a serviço da construção do conhecimento fazendo com que o aluno pesquise, raciocine, busque, formule novos conceitos e construa o seu próprio conhecimento, evitando a automatização no uso deste recurso como simplesmente um caderno ou um quadro verde moderno.

Acreditamos que os objetivos propostos foram atingidos, mas salientamos que os resultados seriam melhores se o Laboratório de Informática do I.EE.S.A. já estivesse em funcionamento, pois os computadores da biblioteca estão desatualizados, sem os recursos e programas compatíveis e necessários para elaborar os panfletos e os slides. As atividades do projeto dessa Escola foram complementadas com os recursos próprios de alunos e de professores. Apesar disso os resultados obtidos foram muito bons, visto que cada aluno soube solucionar suas dificuldades utilizando os recursos próprios, ou de alguma outra forma, ou seja, nenhum aluno desistiu ao encontrar estas dificuldades, pelo contrário, enfrentaram e contornaram esses obstáculos a fim de atingir os seus objetivos.

Em relação a E.E.E.M. Morada do Vale I, seu laboratório está ativo, inclusive com internet, porém, não tem um computador por alunos, o que dificultou o andamento das pesquisas. Assim, como na escola parceira de projeto, os alunos buscaram outras alternativas, utilizando mídias próprias, lan house...

Para terminar salientamos que temos plena consciência que o uso de diferentes recursos possibilitou os alunos interagir, compartilhar experiências, pesquisar conceitos a respeito do tema trabalhado e socializar suas descobertas com maior eficiência e prazer.

A utilização de diferentes e adequados recursos tecnológicos e mídias proporcionam mais dinamismo e eficácia no ensino-aprendizagem.

 

 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

  

BORBA, Marcelo C.; PENTEADO, Miriam Godoy. Informática e Educação Matemática. Coleção tendências em Educação Matemática. Belo Horizonte: Autêntica, 2001.

 

D’AMBRÖSIO, Ubiratan. Educação para uma sociedade em transição. Campinas, SP: Papirus, 1999.

 

FÍSICO MALUCO. Disponível em> http://fisicomaluco.com/wordpress/2008/03/05/as-melhores-dicas-de-como-economizar-energia-e-proteger-o-planeta-do-superaquecimento/. Acesso em 15 de outubro de 2009.

 

FURTADO, André. Disponível em: http://www.comciencia.br/reportagens/2004/12/16.shtml. Acesso em 03 de novembro de 2009.

 

MORAN, José Manoel. ALMEIDA, Maria Elizabeth; Comunicação é educativa. Por que nos comunicamos? Disponível em CD: Programa Continuada Mídias na Educação. Ciclo Básico. Etapa 3. Ed.2. Módulo Introdutório: Integração de Mídias na Educação. Porto Alegre: UFRGS, 2007.

 

MUNDO EDUCAÇÃO. Disponível em: http://www.mundoeducacao.com.br/quimica/formas-energia.htm. Acesso em 20 de setembro de 2009.

 

PRATA, Carmem Lúcia. Gestão escolar e as tecnologias. In: ALONSO, Myrtes; ALMEIDA, Maria Elizabeth B. de; MASETTO, Marcos Tarciso; MORAN, José Manuel; et al. Formação de gestores escolares para utilização de tecnologias de informação e comunicação. Brasília: Secretaria de Educação a Distância, 2002.

 

SIMBIOSE DE PAZ. Disponível em: http://simbiosedepazverdadenaterra.blogs.sapo.pt/2322.html. Acesso em 20 de setembro de 2009.

 

VALENTE, J. Armando. Por que o computador na educação? Disponível em: http://www.proinfo.gov.br/testosie/prf_txtie9.htm. Acesso em: 05/11/2009.

 

 

______. Mudanças na Sociedade, mudanças na educação: O fazer e o compreender. In: VALENTE, J.A. (Org) O Computador na Sociedade do Conhecimento. Campinas: Unicamp/ Nied. 1999, p. 29-48.

 


  

ANEXOS

 

 

ANEXO 1 – RESUMO DAS RESPOSTAS DOS ALUNOS AS QUESTÕES DE AVALIAÇÃO DO PROJETO

 

OBS. 105 alunos avaliaram o projeto.

 

Após a conclusão do projeto os alunos avaliaram o desenvolvimento do projeto, sendo feito as seguintes indagações:

 

1.      Você acha que os recursos tecnológicos como a TV, o vídeo, o computador, os programas do computador, a internet e outros recursos tecnológicos tornaram as aulas de Física mais interessantes e facilitou a aprendizagem?

 

Todos os alunos responderam que sim. Pois não tínhamos trabalhado e apresentado trabalhos desta forma. “Usar o computador para apresentação do trabalho foi muito legal e trazendo recursos novos os alunos se interessam mais”.

 

2)      Fale sobre o desenvolvimento dos trabalhos.

Observação: Nesta questão foi feito uma análise das respostas e um resumo das respostas dos alunos em itens. As respostas enfatizaram os seguintes itens:

 

Na avaliação, resposta à questão número 2 em folha ofício, os alunos se deterão aos seguintes itens:

 

a)      “As aulas de Física e Biologia ficaram mais interessantes;

b)      É bom sair da rotina do quadro e giz;

c)      Mais fácil aprender o assunto, pois trabalhamos com coisas diferentes e levamos o conhecimento de Física e Biologia para nossa realidade;

d)      Foi bom buscar novas formas de apresentar e estudar o conteúdo;

e)      Todos os grupos participaram das atividades;

f)       A nossos inteligência evoluiu;

g)      Aprendemos utilizar Movie Maker e no PowerPoint;

h)      Saímos da rotina fazendo algo que nos chamou atenção e interagimos com toda a escola;

i)        Perdemos a timidez;

j)       A internet e o computador nos ajudaram muito;

k)      Redigir os panfletos e distribuí-los foi muito legal;

l)        Os computadores da biblioteca (IEESA) são muito velhos e tivemos que usar os nossos recursos na apresentação e na complementação das pesquisas;

m)    A escola deve oferecer mais recursos para o desenvolvimento dos trabalhos;

n)      Poucos professores utilizam as tecnologias nas aulas, normalmente usam quadro, giz e livro didático;

o)      Na escola (IEESA) temos TV, DVD, rádio, sala de vídeo, computadores novos, fechados em uma sala, e na biblioteca temos seis computadores desatualizados com internet, laboratório, retroprojetor, mas eles não são usados pela maioria dos professores;

p)      Nosso laboratório de informática deveria ter mais computadores (EEEMMVI);

q)      Os programas e os computadores da biblioteca poderiam ser atualizados”.

 

ANEXO 2 – FOTOS ARQUIVO PESSOAL

 

 

          

             

Alunos do IEESA

                                

  

     Alunos da EEEM Morada do Vale I

 



" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">
 
  Início      Cadastre-se!      Procurar      Área de autores      Contato     Apresentação     Normas de Publicação     Artigos     Reflexão     Para sensibilizar     Dinâmicas e recursos pedagógicos     Entrevistas     Saber do Fazer     Culinária     Arte e ambiente     Divulgação de Eventos     Educação     Contribuições de Convidados/as     Trabalhos Enviados