ISSN 1678-0701
Número 66, Ano XVII.
Dezembro/2018-Fevereiro/2019.
Números  
Início      Cadastre-se!      Procurar      Submeter artigo      Fazer doação      Contato     Apresentação     Normas de Publicação     Artigos     Dicas e Curiosidades     Reflexão     Para sensibilizar     Dinâmicas e recursos pedagógicos     Entrevistas     Culinária     Arte e ambiente     O que fazer para melhorar o meio ambiente     Sugestões bibliográficas     Educação     Plantas medicinais     Práticas de Educação Ambiental     Educação e temas emergentes     Ações e projetos inspiradores     Gestão Ambiental     Cidadania Ambiental     Relatos de Experiências     Notícias
Artigos

04/12/2018TRILHAS ECOLÓGICAS E EDUCAÇÃO AMBIENTAL: AÇÕES PARA SENSIBILIZAÇÃO DE ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL NO MUNICÍPIO DE SALVATERRA-PA  
Link permanente: http://www.revistaea.org/artigo.php?idartigo=3481 
" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">

TRILHAS ECOLÓGICAS E EDUCAÇÃO AMBIENTAL: AÇÕES PARA SENSIBILIZAÇÃO DE ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL NO MUNICÍPIO DE SALVATERRA-PA

Davison Márcio Silva de Assis1, Fernanda Ferreira Machado2, Luciana Otoni de Souza3, Aline LohanaSilva da Silva4, Ronilson Freitas de Souza5

1 Mestrando em Ciências Ambientais. Universidade do Estado do Pará–UEPA. E-mail: davison-assis@hotmail.com

2 Graduada em Relações Internacionais. Universidade da Amazônia–UNAMA. E-mail: fernandamachadori@gmail.com

3 Mestra em Engenharia Civil, Professora da SEDUC-PA. E-mail: luciotoni@yahoo.com.br

4 Graduada em Ciências Naturais com habilitação em Biologia. Universidade do Estado do Pará–UEPA.

5Doutor em Química. Professor da Universidade do Estado do Pará–UEPA. E-mail: ronilson@uepa.br

Resumo: Neste estudo buscou-se avaliar a utilização de uma trilha ecológica como ferramenta pedagógica, visando promover sensibilização de 150 alunos de 6º e 7º anos do Ensino Fundamental de duas escolas municipais, acerca das principais problemáticas ambientais existentes no município de Salvaterra-PA. O projeto foi executado através da construção de uma trilha ecológica interpretativa na Mata do Bacurizal, que teve informações aos visitantes através de banners, folders, cartilhas educativas e guias especializados, proporcionando assim a percepção sobre o local através de diferentes sentidos. Ao final da trilha foi criada uma dinâmica com enfoque na temática em questão. As atividades desenvolvidas contribuíram para Plano de Desenvolvimento Institucional da UEPA e com o Projeto Pedagógico do Curso de Ciências Naturais, pois, aumentou a participação da comunidade acadêmica. A partir do que foi discutido na execução do projeto, acreditamos que os alunos conseguiram associar o que foi discutido ao longo da Trilha e correlacionar com sua realidade, pois em suas respostas na dinâmica, demonstram um discurso potencialmente significativo para a construção e amadurecimento de uma postura ambiental mais responsável, bem como disseminar esses conhecimentos, contribuindo para a construção de um mundo mais sustentável.

Palavras-chave: Arquipélago do Marajó. Reserva Ecológica Mata do Bacurizal. Trilha interpretativa.

Abstract: In this study we sought to evaluate to use an ecological trail as a pedagogical tool to raise awareness among 150 6th and 7th grade elementary school students of two municipal schools about the main environmental problems occurring in the municipality of Salvaterra-PA. The project was executed through the construction of an interpretive ecological trail in the Mata do Bacurizal, it had information to visitors through banners, folders, educational guides and specialized guides, thus providing the perception of the place through different senses. At the end of the track, a dynamic was proposed focusing on the theme in question. The activities developed contributed to UEPA Institutional Development Plan and to the Pedagogical Project of the Natural Sciences course, as it increased the participation of the academic community. It based what was discussed in the execution of the project, we believe that the students were able to associate what was discussed along the track and correlate with their reality, because in their responses in the dynamics, they demonstrate a potentially significant discourse for the construction and maturation of a more responsible environmental posture, as well as disseminate this knowledge, contributing to the construction of a more environmentally educated world.

Keywords: Environmental education. Ecological trail. Sustainability. Social and Environmental Education.

INTRODUÇÃO

A interação entre homem e natureza que antes era caracterizada como uma relação de sobrevivência, com o passar dos anos e com o crescimento populacional ganhou outras dimensões, isso se deu graças a globalização e consequentemente o estabelecimento do capitalismo (RIBAS et al., 2010). Desde então, esse atual modelo de econômico, pautado na exploração insustentável dos recursos naturais, constitui-se como uma das maiores ameaças à civilização moderna, ocasionando problemas como perda de biodiversidade, redução da ciclagem de água e o mais conhecido, o aquecimento global (ARRAES et al., 2012).

Diante desse cenário, a educação ambiental surge como uma ferramenta que possui grandes potencialidades para sensibilizar a população acerca de seu papel na preservação e conservação do meio ambiente, por meio da adoção de uma nova postura, pautado na ética da relação “sociedade-natureza” (LOUREIRO, 2008). Dentro desse contexto, é recomendável que este tema seja abordado em todos os níveis de ensino, por meio de ações educativas que sensibilizem a sociedade a adotar valores e atitudes que promovam responsabilidades individuais e coletivas, a fim de desenvolver uma população dotada de informação, habilidades e atitudes ambientalmente corretas.

A educação com enfoque ambiental surge da necessidade de organizar e disciplinar a maneira como o desenvolvimento de uma nação deve acontecer, levando em conta o respeito ao meio ambiente como espaço comum e de direito a todos os seres vivos (PINHEIRO et al., 2016). Por isso, enfatiza-se este tipo de educação “como processo educativo amplo, formal ou não, abarcando as dimensões política e socioculturais, capazes de gerar novos valores, atitudes e habilidades compatíveis para a sustentabilidade da vida no planeta” (LOUREIRO, 2006, p.70).

A educação ambiental como prática pedagógica deve ser discutida em todos os níveis educacionais, desde a educação infantil até a educação superior (ADAMS, 2012). A aprovação da Lei nº 9.795, de 27.4.1999 e do seu regulamento, o Decreto nº 4.281, de 25.6.2002, preconiza a abordagem da temática ambiental no âmbito escolar permitindo a construção de uma população mais consciente, responsável e comprometida com o meio ambiente, além de estimular interações mais harmônicas entre o homem e os demais seres que habitam o planeta (BRASIL, 1999).

Dentro do contexto de áreas preservadas, o arquipélago marajoara é considerado como uma área de proteção ambiental, a qual apresenta grande potencial para desenvolver atividades educacionais ao ar livre (MENDES et al., 2016). No entanto, projetos voltados para conservação da natureza são escassos, uma vez que os esforços da população local estão voltados exclusivamente para os benefícios econômicos proporcionados pelo turismo. Dentro desse contexto, considerando que essa região apresenta grande potencial para se desenvolver ações de educação ambiental, acredita-se que sensibilizar os jovens que estão nas escolas é uma saída viável e possível de ser realizada no âmbito deste projeto.

Neste sentido, este trabalho teve como objetivo utilizar uma trilha ecológica como ferramenta pedagógica, visando promover a sensibilização de 150 alunos de 6º e 7º anos do Ensino Fundamental de duas escolas municipais, acerca das consequências da poluição dos ecossistemas terrestres e aquáticos, desmatamentos e queimadas, que são as ameaças ambientais mais frequentes no município de Salvaterra-PA.

METODOLOGIA

As ações desta pesquisa foram desenvolvidas na Reserva Ecológica da Mata do Bacurizal no município de Salvaterra-PA, próximo à Praia Grande, ambiente propício para realização de atividades de ecoturismo e manejo sustentável de paisagem, por apresentar uma grande parcela de sua área florestal preservada e trilhas naturais já estabelecidas.

Com uma semana de antecedência à realização das atividades foi enviado formalmente um convite às escolas, através de um ofício cedido pela UEPA – Campus XIX/Salvaterra, sendo firmadas parcerias com as Secretarias Municipais de Meio Ambiente e Educação, que autorizaram a utilização do espaço e transporte para os alunos.

A construção da Trilha Ecológica deu-se a partir da instalação de quatro estações, cada uma com um banner de identificação que apresentava informações escritas e imagens sobre aspectos ambientais. Na confecção dos banners, os autores do projeto tiveram a preocupação de contextualizar os problemas socioambientais mais comuns do município de Salvaterra.

As estações ficaram assim constituídas: Estação 1 – A importância da trilha, Estação 2 – Poluição nos rios e suas consequências para o bioma local, Estação 3 – Consequências do lançamento de resíduos no meio ambiente e Estação 4 – Desmatamento e extinção de espécies. Cada estação contou com o auxílio de um acadêmico que abordou sobre o tema proposto na mesma (Figuras 1 e 2).

Figura 1 - Estação 1

Fonte: Autores, 2015

Figura 2 - Estação 2