ISSN 1678-0701
Número 54, Ano XIV.
Dezembro/2015-Fevereiro/2016.
Números  
Início      Cadastre-se!      Procurar      Área de autores      Contato     Apresentação     Normas de Publicação     Artigos     Dicas e Curiosidades     Reflexão     Para sensibilizar     Dinâmicas e recursos pedagógicos     Entrevistas     Arte e ambiente     Divulgação de Eventos     O que fazer para melhorar o meio ambiente     Educação     Você sabia que...     Plantas medicinais     Contribuições de Convidados/as     Práticas de Educação Ambiental     Sementes     Relatos de Experiências     Notícias
 
Relatos de Experiências

No. 54 - 15/12/2015
PANFLETAGEM SUSTENTÁVEL COMO FERRAMENTA DE REDUÇÃO DE RESÍDUOS EM BARES DE JUIZ DE FORA  
Link permanente: http://www.revistaea.org/artigo.php?idartigo=2246 
" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">

PANFLETAGEM SUSTENTÁVEL COMO FERRAMENTA DE REDUÇÃO DE RESÍDUOS EM BARES DE JUIZ DE FORA

 

Anna Elisa Martins[1]

Antônio Carlos da Silva Junior[2]

Guilherme Santos[3]

Waltencir Carlos da Silva[4]

 

 

Resumo

 

A concorrência e uma das principais forças competitivas de um negócio, e essa disputa caracteriza-se por parcelas de mercado que as empresas visam atingir, como as forças competitivas tem intensidade variáveis o marketing torna-se uma ferramenta principal para alcançar o mercado almejada. Daí surge a necessidade do diferencial em prol da atração dos clientes e satisfação do público almejado, e a utilização de diversas abordagem de marketing, como se pode destacar a panfletagem. O presente artigo tem como finalidade abordada a mídia de panfletagem e a responsabilidade ambiental do processo de divulgação, ressaltando a necessidade de uma ação mais sustentável em prol da redução de resíduos proveniente de panfletagem e a conscientização tanto do mercado gerador como consumidor, diante do cenário ambiental que torna como senso de urgência o questionamento sobre a geração de resíduos proveniente da eficácia ou falta dela, no processo de abordagem de marketing.

 

Palavras-chave: Educação Ambiental; Panfletagem; Resíduos Sólidos.

 

 

1-     INTRODUÇÃO

 

Uns dos principais desafios atuais da gestão de resíduo solido urbano, se refere a ao descarte dos resíduos, jogados ou deixados em vias públicas, proveniente dos elevados índices de descarte em locais inadequados, instalações de lixeiras em espaços limitados e a dificuldade de contêineres para a coleta de resíduos.

Outra questão acerca da gestão de resíduos sólidos urbanos e a política nacional de resíduos sólidos, diz respeito a responsabilidade compartilhada, que conforme Art. 30 da lei 12.305/2010 institui conjunto de atribuições individualizada e encadeadas abrangendo os fabricantes, importadores, distribuidores e comerciantes, os consumidores e os titulares do serviços públicos de limpeza urbana e de manejo de resíduos sólidos, pela minimização do volume de resíduos sólidos e rejeitos gerados, e redução dos impactos à saúde humana e a qualidade ambiental decorrente do ciclo de vida dos produtos, nos termos dessa lei. (MEDAUAR, 2014)

O gerenciamento dos resíduos sólidos, segue a ordem de prioridade de não geração, redução, reutilização, reciclagem, tratamento dos resíduos, bem como disposição final ambientalmente adequada dos rejeitos.

Partindo desta explanação, este artigo levanta o seguinte problema: a grande quantidade de panfletos de eventos distribuídos em bares da zona sul de Juiz de Fora.

Sendo assim, o artigo busca alternativas sustentáveis no que ser refere ao marketing de panfletagem, de forma reduzir o volume de resíduos gerado por este canal de divulgação.

Portanto, como objetivo, visa abordar o caráter efêmero do processo da panfletagem convencional e relatar sistemas de panfletagem sustentável como ferramenta de redução de resíduos dos bares da zona sul de Juiz de Fora, viabilizando aos consumidores de produtos e serviços, uma reflexão mais consciente acerca do processo de divulgação.

Justificasse pelo aumento de eventos mensais na cidade, que utiliza o serviço de panfletagem para divulgação em bares, onde existe aglomeração de centenas de jovens, sem uma real importância em relação a destinação pós divulgação.

 

 

2-    METODOLOGIA

 

O presente artigo que caráter exploratório, evidencia um levantamento de panfletos distribuídos durante três horas, em uma noite de quinta-feira em um bar na zona sul da cidade de Juiz de Fora, tradicionalmente frequentados pelos panfletistas, nesse período sete eventos distintos foram divulgados, sendo que os panfletistas dispostos em grupos ou individuais, caracterizava-se por sua grande maioria, garotas joviais justificadas pelo tipo e direcionamento dos eventos.

Foram observadas a panfletagem, em 30 mesas com ocupação variada disposta na varanda do bar, em um período noturno de três horas, em que foi avaliada a aceitação de panfletos por parte de todos integrantes da mesa, seja de forma individual ou colocado sobre a mesa, em relação a entregue de encartes pode-se observar um grande volume de resíduos que foram abandonados sobre a mesa ou direcionado em via pública.

 

 

3-     GESTÃO DE RESIDUOS SOLIDOS EM JUIZ DE FORA

 

Os resíduos sólidos urbanos (RSU), nos termos da Lei Federal nº 12.305/10 que instituiu a Política Nacional de Resíduos Sólidos, englobam os resíduos domiciliares, isto é, aqueles originários de atividades domésticas em residências urbanas e os resíduos de limpeza urbana, quais sejam, os originários da varrição, limpeza de logradouros e vias públicas, bem como de outros serviços de limpeza urbana. (ABRELPE, 2015)

O mercado de limpeza urbana, tem movimentado considerável volume de recursos, e novamente demonstra a sua relevância no cenário econômico do país ao superar a casa dos 26 bilhões de reais em 2014, E consequentemente o aumento na região sudeste de 3,81% na geração de emprego no setor de limpeza urbana em relação a 2013, que era de 152.991 empregos direto. (ABRELPE, 2015)

A cidade de Juiz de Fora conta com diversas lixeiras instaladas em pontos estratégicos, e mais de 150 garis divididos em dois turnos com a função de realizar diariamente as varrições das vias do município, além da lei municipal 12.294, que proíbe qualquer cidadão de jogar lixo nos logradouros públicos da cidade. (PJF, 2015)

O departamento municipal de limpeza urbana – (DEMLURB) e responsável pelo serviço de limpeza urbana da cidade e tem como objetivo e finalidade: Promover a coleta, transporte e depósito de lixo, tratar e transformar o lixo, providenciando a venda dos produtos decorrentes do mesmo; varrer, limpar e conservar os logradouros públicos. (DEMLURB, 2015)

Segundo Departamento de limpeza Urbana de Juiz de Fora, em 2013 a cidade gerou 53 toneladas mensais, de resíduos provenientes de variação dentre os quais panfletos eram partes integrantes dos resíduos. Mais nada disso justifica a inexistência de uma ação individual, em prol de minimizarem os lixos nas ruas, entupimentos de bueiros causando enchentes, poluição dos cursos d’água, consumo de papel proveniente de fontes desconhecidas, e quantidade de gases provenientes da produção de panfletos.

 

 

4-    MARKETING DE PANFLETAGEM

 

Juiz de Fora, cidade universitária, conhecida pelo fluxo de jovens e por serem comuns os happy hours em bares nos finais de tarde e à noite, bem como nos finais de semana, como forma de confraternizar com amigos ou até mesmo por satisfação após um dia inteiro de trabalho ou estudo. São também muito comuns as abordagens nesses locais com panfletos de vendas, eventos, divulgação.

Para KOTLER (2006), marketing envolve a identificação e a satisfação das necessidades humanas e sociais, e supre necessidades lucrativamente.

Os consumidores atuais como são mencionados por diversos autores de marketing e propaganda e também por KOTLER (2006), aumentaram substancialmente seu poder de compra devido à maior variedade de bens disponíveis, a grande quantidade de informação e a maior interação para fazer e receber seu pedido de compra. Acontece que os mesmos não são capazes de amenizar impactos ambientes simples como os derivados dos serviços de panfletagens de bares, por exemplo, causa essa proveniente do desconhecimento ou derivada do desconhecimento de ações de preservação no que tange tal universo de divulgação.

Os panfletos por mais que sejam assunto das rodas de conversa, em sua maioria terminam no lixo coletados pelos estabelecimentos ou jogados em vias públicas pelos que os recebem.

O sucesso financeiro muitas vezes depende da habilidade de marketing e propaganda, que muitas vezes considera apenas o lucro acerca da divulgação, sendo assim, cabe a cada um de nós impormos uma postura mais consciente de forma a interferir no processo de qualidade de vida de cada um, e essa responsabilidade deve ser compartilhada entre empresas, órgãos governamentais e a sociedade em si.

O marketing de panfletagem é um recurso validos quando efetuado de forma planejada, desde que seja bem definido a abordagem de entrega, o público a ser impactado, a linguagem utilizada nos panfletos.

A ação de marketing usando a panfletagem vai em desencontro com à lógica da sustentabilidade. Uma vez que, precisamos desenvolver uma cultura e um comportamento de não geração ou geração mínima de resíduos. Ao pensamento sustentável cumpre o posicionamento de agir localmente, pensando globalmente. Busca uma consciência planetária cuja preocupação da não geração de resíduo é o alicerce para toda e qualquer decisão e ação.

 

 

5-    MARKETING SOCIALMENTE RESPONSÁVEL

 

A classificação da propaganda segundo Keller & Kotler (2006), pode informar, persuadir, lembrar ou reforçar, no entanto, existe uma necessidade de abordar essa prática de forma mais sustentável.

O marketing holístico incorpora o marketing socialmente responsável e a compreensão de preocupações que abrangente, o contexto ético, ambiental, legal e social das atividades e dos programas de marketing. As causas e os efeitos de marketing vão claramente além das empresas e dos clientes para englobar a sociedade como um todo, que faz com que muitos profissionais de marketing analisem o papel e o desempenho em termos de bem-estar social, sendo necessário ir além da satisfação do desejo dos clientes. (KOTLER, 2006)

Uma ação publicitária na Hungria, com apenas um folheto, surpreendeu pela simplicidade, alcançou resultados incríveis e manteve o compromisso sustentável com a WWF (reconhecida organização de conservação global). A ação era composta de dois voluntários vestidos de panda, e um único panfleto, nas pontas de uma escada rolante em um shopping. Um entregava, o outro recolhia depois de lido pela pessoa, e o processo se repetia na descida. (YOUTUBE A, 2015)

Seguindo a mesma linha O Grupo TQ (Teatro de Quintal), reconhecido como utilidade pública em Juiz de Fora, pela Lei 12.714, inovou na cidade com o mesmo princípio de panfletagem sustentável, que consiste na divulgação de suas peças através da entrega de “apenas um panfleto” para a pessoas que lê, memoriza, tira foto, e em seguida devolve para que o processo continue sendo efetuado com outras pessoas. (FACEBOOK, 2015)

Outra forma que vem sendo bastante utilizada pelas profissionais de marketing e a utilização de mídias sociais, que diante da interatividade do mundo moderno e linhas conectividade como facebook, WhatsApp, revistas virtuais, e-mail marketing, marketing virtual, dentre outros, proporciona o aumento das vendas, diminuição custos de aquisição de novos clientes e consequentemente o aumento do relacionamento com os clientes.

 

 

6-    RESULTADO E DISCURSÃO

 

Pode com as observações obtidas e com as percepções acerca do processo de divulgação por meio de panfletagem no bar da zona sul de Juiz de Fora, verificou que os panfletos apresentavam gramatura de 90 gramas, com média de disposição de 4 cadeiras ocupadas por mesa, teremos cerca de uma produção de 108 quilogramas de resíduos proveniente do processo de panfletagem.

Conforme relatado por uma empresa gráfica de médio porte da cidade, um evento básico, com característica jovem destina cerca de 100.000 panfletos para distribuição, que são alocados em diversos pontos de encontro da cidade em especial bares da zona sul, o que equivaleria 90.000 quilogramas.

 

 

7-    CONSIDERAÇÕES FINAIS

 

 

Diante do comportamento acima descrito questionamos a eficácia da ação. Afinal, para que tanto papel, tanto lixo? Por que é entregue um panfleto a cada pessoa? Porque não utilizar as mídias sociais para isso? Se a panfletagem gera empregos, mesmo que indiretos, porque não utilizar essas pessoas em uma forma diferente de marketing, utilizando por exemplo a boca a boca ao invés do papel propriamente dito. Existem em alguns bares, os papeis toalhas das mesas com propagandas, talvez uma solução?

Por mais lindos e caros, pequenos e grandes e bem elaborados que sejam, os panfletos em algum momento serão descartados e de certa forma chegarão aos aterros sanitários.

 

8-    REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICAS

 

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE EMPRESA DE LIMPEZA PÚBLICA E RESÍDUOS - ABRELPE Panorama dos resíduos sólidos no Brasil, 2014. 120 p.

 

DEPARTAMENTO DE LIMPEZA URBANA – DEMLURB. Disponível em <http://www.demlurb.pjf.mg.gov.br/> Acesso em: 16 nov. 2015.

 

FACEBOOK -TQ: Panfletagem Sustentável com sérias restrições orçamentárias. Disponível em:<https://www.facebook.com/gueminho.tristao/videos/891267221

018482> Acesso em: 09 nov. 2015.

 

KELLER, K. L.; KOTLER, P. Administração de marketing. 12.ed. São Paulo:

Pearson Prentice Hall, 2006.

 

MEDAUAR, Odete (Org.). Coletânea de legislação ambiental, Constituição federal. 13. ed. rev., ampl. e atual. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2014.

(Mini códigos. Ambiental).

 

PREFEITURA DE JUIZ DE FORA- PJF. Disponível em <http://www.pjf.mg.gov.br/noticias/view.php?modo=link2&idnoticia2=49870> Acesso em: 16 nov. 2015.

 

YOUTUBE - WWE. Disponível em:<https://www.youtube.com/watch?v=2ZYDAc

4vdjU> Acesso em: 09 nov. 2015.

 

 

 



[1] Psicóloga; Estudante do Curso de Gestão Ambiental; Anna Elisa Martins; Praça Jarba de Lery 85/101 – São Mateus - Juiz de Fora - MG - Cep: 87014-671; (32) 9124-5550; aetmartins@gmail.com

 

[2] Advogado; Estudante do Curso de Gestão Ambiental; Antônio Carlos da Silva Júnior; Rua Vitorino Braga, 1212/101 – Vitorino Braga – Juiz de fora  - MG – CEP: 36060-000; (32) 3212-4158/ (32) 99159-7800; antoniojunior_adv@hotmail.com e Antonio@alvessilva.com.br

 

[3] Estudante do Curso de Gestão Ambiental; Guilherme Santos; Rua Luiz Villani 431 – São Judas Tadeu - Juiz de Fora - MG - Cep: 36087-640; (32) 8432-9669 guilhermeoliveirajf22@yahoo.com.br

 

[4] Administrador de Empresas; Estudante do Curso de Gestão Ambiental; Waltencir Carlos da Silva; Rua José de Souza Chagas 275 - Bonsucesso - Juiz de Fora - MG - Cep: 36061-340; (32) 3218-1372/ (32) 8801-4969; waltcs_adm@hotmail.com

 



" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">
 
  Início      Cadastre-se!      Procurar      Área de autores      Contato     Apresentação     Normas de Publicação     Artigos     Dicas e Curiosidades     Reflexão     Para sensibilizar     Dinâmicas e recursos pedagógicos     Entrevistas     Arte e ambiente     Divulgação de Eventos     O que fazer para melhorar o meio ambiente     Educação     Você sabia que...     Plantas medicinais     Contribuições de Convidados/as     Práticas de Educação Ambiental     Sementes     Relatos de Experiências     Notícias