ISSN 1678-0701
Volume VI, Número 23
Março-Maio/2008.
Números  
Início      Cadastre-se!      Procurar      Área de autores      Contato     Apresentação     Normas de Publicação     Artigos     Dicas e Curiosidades     Reflexão     Para sensibilizar     Dinâmicas e recursos pedagógicos     Entrevistas     Saber do Fazer     Arte e ambiente     Divulgação de Eventos     O que fazer para melhorar o meio ambiente     Sugestões bibliográficas     Educação     Plantas medicinais     Trabalhos Enviados     Breves Comunicações
 
Trabalhos Enviados

No. 23 - 14/03/2008
SITUAÇÃO DE ESTUDO: O RIO CARIMÃ DA CIDADE DOS BARREIROS NO CONTEXTO SOCIO-AMBIENTAL  
Link permanente: http://www.revistaea.org/artigo.php?idartigo=560 
" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">

João R de Freitas Filho1, Ednaldo Ramos dos Santos2, Gilvânia Pereira de Lima Santana3, Sandra Verônica Dias Santana3, Juliano Carlo Rufino de Freitas5, e Júlio César Rufino de Freitas4. joaoveronice@yahoo.com.br

 

1Professor Adjunto da Universidade Federal Rural de Pernambuco - UFRPE

2 Professor da Faculdade de Formação de Professores da Mata Sul – FAMASUL

3 Estudantes da Pós-Graduação da Faculdade de Formação de Professores da Mata Sul - FAMASUL

4 Estudante da Universidade Federal de Pernambuco - UFPE

5 Estudante da Faculdade Frassinetti do Recife - FAFIRE

 

RESUMO

 

Este trabalho descreve uma experiência desenvolvida e vivenciada por professores e alunos do Ensino Médio sob a ótica de uma situação de estudo. A situação de estudo apresentada pelos professores foi “O rio Carimã”, a qual foi estudada por meio da problematização: O que acontece quando jogamos lixo e resíduos no rio Carimã? Nesse contexto, a temática foi explorada de forma contextualizada e interdisciplinar. A intervenção interdisciplinar proposta permitiu o desenvolvimento de atividades diversas, favorecendo a integração de conteúdos da biologia, da física e da química. A metodologia de estudo consistiu na visita às margens do rio, exibição de vídeo, pesquisas em fontes variadas (livros didáticos, revistas, periódicos, internet, etc.), montagem de documentário dentre outras. Desta forma pretendeu-se conscientizar a população barreirense, a buscar soluções para o uso sustentável da água, já que este é um recurso vital à manutenção da vida na terra.

 

Palavras-chave: Água, rio Carimã, situação de estudo.

 

INTRODUÇÃO

1. Aspectos Gerais

 

A água é o elemento fundamental à vida, é importante por fazer parte da constituição dos seres vivos e é fundamental porque participa de quase todos os processos que ocorrem na natureza.

No Brasil, a qualidade da água tem sido afetada de maneira impressionante, devido à demanda gerada pelo crescimento populacional e ao aumento da industrialização, levando à necessidade cada vez maior de descarte de esgotos e resíduos industriais nos ambientes naturais. A saúde humana é diretamente prejudicada por esses processos, sendo ainda muito elevado o índice de mortes no país por doenças de origem hídrica, devido à falta de água de boa qualidade.

A “poluição da água” é considerada como qualquer modificação nas suas características físico-químicas, capaz de torná-las indevidamente nocivos à saúde, à natureza, à segurança e ao bem-estar, prejudicando o equilíbrio natural. A poluição surge como fruto da atuação do homem sobre o meio ambiente. Muitas vezes a poluição das águas é acidental; mas em geral deriva do derramamento de produtos sem o devido controle.

Segundo Barbiere (1995, p. 9-11) “a poluição constitui uma preocupação cada vez maior para às indústrias, que se vêem obrigadas a utilizar as águas contaminadas dos rios, incompatíveis com determinados tipos de instalações”.

Segundo a UNESCO / ONU, 10% dos recursos hídricos estão poluídos e que apenas 6% das águas de todo planeta serve para consumo humano, baseado em monitoramento de 240 rios e 43 lagos de 59 países.

 

2. Situação de Estudo: O rio Carimâ

A situação de estudo: rio Carimâ, tornou-se importante como proposta metodológica, pois as diferentes disciplinas das áreas de Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias foram estudadas numa perspectiva de interação interdisciplinar, pois entendemos que a situação de estudo posta no trabalho poderá ser definida como uma situação complexa, dinâmica, plural e conceitualmente rica, identificada nos contextos de vivência cotidiana dos alunos. Com a situação de estudo, os conceitos sócio-ambientais construídos foram relevantes e significativos na aprendizagem dos alunos. Estes conceitos foram construídos de forma dinamicamente articulada – entre si, e com saberes vivenciais nela participantes. De acordo com Marques (1996), em tais contextos de interação os saberes que, em interlocução, se reconstroem na aprendizagem, saberes dos professores e saberes dos alunos, são saberes que não se constroem a partir do nada, não se inventam simplesmente, mas se reconstroem numa desmontagem e recuperação de modo novo, o modo justamente da aprendizagem escolar.

O rio Carimã é um manancial nativo do município dos Barreiros estado de Pernambuco, o qual é vítima de agressões severas como a destruição da vegetação ciliar nativa, erosão, assoriamento, poluição (lixo, esgoto, fertilizante, etc.) que comprometem diretamente na qualidade e a quantidade de água disponível para consumo. Com a situação de estudo proposta buscou-se: a) levantar informações avaliando a qualidade da água para determinar sua adequabilidade para o uso proposto como abastecimento de água ao público depois de tratada na cidade dos Barreiros; b) despertar o interesse e conscientização da população deste município para a preservação ambiental do rio Carimã de maneira geral; c) sensibilizar o poder Legislativo local, no sentido de criar mecanismos para aplicar o que diz as Leis Orgânicas no uso do solo urbanos e rurais, que venha promover melhorias da área verde das margens ribeirinha do rio Carimã; d) proporcionar com essa pesquisa, a oportunidade de levar o conhecimento de dados técnicos reais em que se encontra o nosso rio Carimã, para contribuir como subsídios na implementação de futuros projetos que venham desenvolver trabalhos de educação ambiental, despertando uma consciência ecológica ao nível das escolas, no trabalho e em casa nas reflexões e práticas; e) coletar amostra para determinação do índice de qualidade das águas em diferentes trechos; f) trabalhar a construção de conceitos químicos em aulas de química, física, biologia e matemática dentre outras.

 

ESBOÇO DA METODOLOGIA

 

O trabalho foi conduzido segundo dois momentos: a) pesquisa de campo e b) pesquisa no contexto da sala de aula. Na pesquisa de campo foram realizadas visita ao rio e em seguida aplicados questionários, onde foram atingidos alunos das escolas: Professor Joaquim Augusto de Noronha Filho, Cristiano Barbosa e Silva e Dr. Anthenor Guimarães, as quais situam-se nas proximidades das comunidades ribeirinhas na área urbana. Na área rural foram entrevistados alguns moradores ribeirinhos. Com base nos questionamentos organizou-se gráficos e tabelas. As atividades desenvolvidas no contexto da sala de aula ocorreram em várias etapas. A primeira etapa consistiu no levantamento das concepções prévias dos estudantes. Na segunda etapa a turma foi dividida em 5 (cinco) grupos com 8 (oito) componentes, onde os grupos debateram as possíveis estratégias para minimizar a situação do rio Carimã. Na terceira etapa, cada aluno dos 5(cinco) grupos formou novos grupos e socializaram as questões levantadas na segunda etapa. Cada etapa descrita acima consistiu de vários momentos para sua realização e aprofundamento da situação de estudo. Para o aprofundamento da situação de estudo, trabalhou-se questão problematizadora: O que acontece quando jogamos lixo e resíduos no rio Carimã? A questão mencionada teve como objetivo a identificação dos impactos na comunidade barreirense pelos estudantes. Para responder a questão os estudantes buscaram referencial teórico abordando temas como, por exemplo, estudo sobre a água e sua escassez. Nesta etapa, os estudantes realizaram investigação de cunho teórico através de pesquisa em livros, monografias, artigos, relatórios, palestras, revistas e a Internet. Os estudantes também montaram experimentos com as amostras coletadas com acompanhamento do professor de Química.

 

ANÁLISE DOS RESULTADOS

 

1. Concepções levantadas

 

A situação de estudo possibilitou a identificação de conceitos científicos sobre o meio ambiente, os quais foram sistematizados e posteriormente levaram a uma conscientização da população de Barreiros, principalmente a classe estudantil. Na situação de estudo a relação entre o sujeito e o objeto (real socialmente construído) podem ser analisados sob o ponto de vista das várias abordagens científicas nas disciplinas biologia, física, química e matemática, dentre outras, levando em consideração a interdisciplinaridade e contextualização, numa perspectiva inter-objetiva e inter-relacional. Segundo Silva (1999), entende-se por inter-relacional a via para lidar com estrutura e organização dos saberes científicos, superando sua fragmentação e/ ou integração e as conseqüências no ensino e na pesquisa, bem como o seu próprio processo de produção e de viabilização.

O processo foi conduzido pela disciplina Biologia. As disciplinas de Química, de Física e de Matemática foram fundamentais para um maior entendimento da situação de estudo. Em Biologia, tratou-se de questões tais como, desmatamento, mata ciliar, assoriamento, erosão, eutroficação, doenças, saneamento, pavimentação, poluição, microorganismos, nutrientes, digestão; em Química, quando enfocamos a questão da pavimentação, do tratamento da água, do saneamento básico, do lixo etc., os estudantes depararam-se com conceitos como: substâncias, misturas, acidez, fermentação, propriedades, transformações e constituição dos materiais. Na situação de estudo quando tratou das construções desordenadas a margem do rio, a disciplina Física contribuiu com conceitos como umidade do ar, pressão pluviométrica, densidade relativa do ar, e precipitação, calor; com a disciplina Matemática conseguiu-se identificar problemas de desigualdades, mortalidade infantil, etc. através de gráficos e tabelas.

 

2. Atividades desenvolvidas

 

2.1. Aplicação de questionário

Para iniciar nosso trabalho de pesquisa foi aplicado um questionário de seis (6) perguntas, o qual foi direcionado para pessoa da comunidade ribeirinha, alunos das escolas públicas estaduais e comunidade em geral. O objetivo desta etapa foi fazer um levantamento sobre questões relacionadas ao rio Carimã. Com relação a primeira pergunta: Você faz uso da água do rio Carimã? constatou-se que o índice do uso da água do rio Carimã, como já era de se esperar é alto, ou seja, 73% dos entrevistados responderam sim. 27% das pessoas não fazem uso da água, ou seja, utilizam outras fontes. Veja resultados no gráfico 1.

Gráfico 1: Você faz uso da água do rio Carimã?

 

Com relação a pergunta: Usando a água do rio Carimã, você pode se contaminar? O gráfico 2 abaixo mostra-nos que 96% dos entrevistados responderam sim, onde os casos mais comuns de contaminação foram as parasitoses e as doenças cutâneas, as quais são citadas durante as coletas em conversas informais com moradores das fazendas Pracinha, Carassú, Vale Carimã e com profissionais da área de saúde do PSF da referida área. 3% dos entrevistados não lembram deste fato ocorrido em suas vidas e apenas 1% afirma nunca ter se contaminado pela água do rio Carimã.

Gráfico 2: Usando a água do rio Carimã, você pode contaminar-se por

doenças?

 

Quando indagou-se os entrevistados sobre o porque de se jogar lixo no rio, percebeu-se que 77% da comunidade ribeirinha em toda a extensão do rio citaram que é mais fácil jogar lixo no rio Carimã por comodismo e por falta de orientação. 20% dos entrevistados fizeram menção a falta de coleta de lixo por serem moradores de áreas de difícil acesso e apenas 3% mostraram totalmente leigos a problemática da poluição dizendo que jogam lixo no rio porque não tem onde jogar. Os resultados são expressos no gráfico 3.

Gráfico 3: Porque joga-se lixo no rio Carimã?

 

Com relação a pergunta 4 que trata do uso da água do rio Carimã, 5% dos entrevistados responderam que usa diretamente a água do manancial por não ter água tratada em casa e não dispor de outra fonte de água. 43% fazem uso para economizar a água da COMPESA e são moradores dos principais bairros ribeirinhos, os 33% mencionam a praticidade de desempenhar suas atividades domésticas em geral e as 19% das pessoas não souberam responder. Confira resultados no gráfico 4.

Gráfico 4: Qual a sua opinião sobre o uso da água do rio Carimã?

Quanto ao tempo de uso da água do rio Carimã, 37% dos entrevistados responderam que fazem uso a algumas décadas ( gráfico 5). Os 30% pesquisados mencionaram fazer uso a mais de cinco anos lembrando-se que antes consumiam água tratada proveniente do açude da Fazenda Macaco e hoje a COMPENSA trata a água do rio Carimã, os 24% responderam que faz uso a menos de cinco anos mostrando alguns moradores que migraram de outras cidades vizinhas e ou regiões, onde alguns nos revelaram desconhecer sobre o fornecimento da água tratada pela COMPENSA ser do manancial referido na pesquisa, argumento também que nos é pertinente aos 9% que responderam que usam água há apenas alguns meses.

Gráfico 5: Há quanto tempo faz uso da água do rio Carimã?

Para comunidade em geral, o rio Carimã têm importância múltiplas onde, 37% o considera como o local que tem água em abundancia para utilizá-la. 35% responderam que é o local onde se capta a água, mostrando ter conhecimento da qualidade da água fornecida pela COMPESA, enquanto 10% acham o rio importante para realizar as suas tarefas domesticas. 18% que não souberam responder diante das opções oferecidas. O gráfico 6 abaixo demonstra estes resultados.

Gráfico 6: Porque o rio Carimã é importante para comunidade?

 

2.2. Contexto da Sala de aula

As atividades desenvolvidas no contexto da sala de aula ocorreram em etapas. A primeira etapa consistiu na divisão da turma em 5 (cinco) grupos com 8 (oito) componentes, onde os grupos debateram as possíveis estratégias para minimizar a situação do rio Carimã. Na segunda etapa, cada aluno dos 5(cinco) grupos formou novos grupos e socializaram as questões levantadas na primeira etapa. Cada etapa descrita acima consistiu de vários momentos para sua realização e aprofundamento da situação de estudo.

Para o aprofundamento da situação de estudo proposta, trabalhou-se a questão problematizadora: O que acontece quando jogamos lixo e resíduos no rio Carimã? A questão mencionada teve como objetivo a identificação dos impactos na comunidade barreirense pelos estudantes. E dentre estes, destaque maior é dado ao rio Carimã (96,7% das citações). A partir daí trabalhou-se com mapas dos bairros, localizando as regiões onde os problemas ocorrem levando em conta os aspectos físicos, químicos e biológicos.

Após responder a questão levantada fez-se a leitura e discussão de textos diversos sobre ecossistema modificado, extraídos de jornais, revistas etc. Este momento consistiu em dar-nos suporte para fundamentação do nosso trabalho. Conceitos como: ambiente, desenvolvimento sustentável, saúde, saneamento, poluição, alimentação, emprego, educação se fez presente nos textos. Todos os conceitos identificados e trabalhados contribuíram para assegurar a qualidade de vida da comunidade barreirense. Logo após elaborou a construção de um documentário: Não deixe o rio Carimã morrer !!! o qual foi divulgado em Escolas e Associação de bairros da cidade de Barreiros.

Para um melhor entendimento da situação de estudo, construiu-se o esquema abaixo com uma outra questão problematizadora: O que acontece quando jogamos lixo e resíduos no rio Carimã? A partir desta questão procurou-se detectar o olhar das diferentes disciplinas: Química, Biologia, e Física.

 

Com a vivência da situação de estudo: “As águas do rio Carimã da cidade de Barreiros/PE no contexto sócio-ambiental”, foi possível apresentar aos estudantes algo concreto, contextualizado, o que facilitou os trabalhos iniciais de aproximação e discussão das diferentes disciplinas na resolução da situação de estudo e também conscientizar a população barreirense, a buscar soluções para o uso sustentável da água, já que este é um recurso vital à manutenção da vida na terra.

Os trabalhos desenvolvidos pelos alunos foram apresentados em forma de oficinas. Nestas oficinas foram construídos e trabalhados: Painéis interativos, montagem de documentário, experimentação dentre outros. Os conteúdos trabalhados nas disciplinas da área de Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias foram relevantes para uma compreensão sobre a necessidade de preservação do ecossistema e também uma aprendizagem significativa, a qual rompeu-se com a fragmentação e a linearidade no ensino vigente das ciências.

 

CONCLUSÕES

 

No desenvolvimento da situação de estudo: “O rio Carimã da cidade de Barreiros no contexto sócio-ambiental”, foi necessário vários encontros de estudo para compreensão da temática em foco, bem como, de conceitos que a situação requeria, tais como: ambiente, mata ciliar, preservação, conscientização, compromisso, desmatamento, erosão, doenças, saneamento, pavimentação, poluição, eutroficação, assoriamento, poder público. Com as produções escritas dos alunos foi montado um documentário: Não deixe o rio Carimã morrer!!! No documentário percebeu-se visivelmente a construção de conceitos de Biologia, Química, Física e Matemática e a contribuição das mesmas na tentativa de minimizar a situação do rio Carimã, localizado no município de Barreiros/PE.

 

AGRADECIMENTOS

Os autores do trabalho agradecem aos Diretores das Escolas: Professor Joaquim Augusto de Noronha Filho, Cristiano Barbosa e Silva, Dr. Anthenor Guimarães.

 

REFERENCIAIS BIBLIOGRÁFICOS

BARBIERE, E. Água potável até quando? CIDADE NOVA. São Paulo, ano XXXVII, N.6, 1995, p. 9-11.

MARQUES, M. O. Educação / Interlocução; Aprendizagem / Reconstrução de Saberes. Ijuí: Ed. UNIJUÍ, 1996.

SILVA, I. B. Inter-relações: a pedagogia das ciências – uma leitura do discurso epistemológico de Gaston Bachelard. Ijui : Ed. UNIJUI, 1999.



" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">
 
  Início      Cadastre-se!      Procurar      Área de autores      Contato     Apresentação     Normas de Publicação     Artigos     Dicas e Curiosidades     Reflexão     Para sensibilizar     Dinâmicas e recursos pedagógicos     Entrevistas     Saber do Fazer     Arte e ambiente     Divulgação de Eventos     O que fazer para melhorar o meio ambiente     Sugestões bibliográficas     Educação     Plantas medicinais     Trabalhos Enviados     Breves Comunicações