ISSN 1678-0701
Número 62, Ano XVI.
Dezembro-2017/Fevereiro-2018.
Números anteriores 
Início      Cadastre-se!      Procurar      Submeter artigo      Fazer doação      Contato     Apresentação     Normas de Publicação     Artigos     Dicas e Curiosidades     Reflexão     Para sensibilizar     Dinâmicas e recursos pedagógicos     Entrevistas     Culinária     Arte e ambiente     Sugestões bibliográficas     Educação     Você sabia que...     Contribuições de Convidados/as     Práticas de Educação Ambiental     Sementes     Educação e temas emergentes     Ações e projetos inspiradores     Gestão Ambiental     Cidadania Ambiental     Relatos de Experiências     Notícias
Relatos de Experiências

11/12/2017A EDUCAÇÃO AMBIENTAL VOLTADA À PRESERVAÇÃO DO RIO VACACAÍ NO BAIRRO BEIRA RIO, SÃO GABRIEL, RS, BRASIL  
Link permanente: http://www.revistaea.org/artigo.php?idartigo=3044 
" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">

 

 
A EDUCAÇÃO AMBIENTAL VOLTADA À PRESERVAÇÃO DO RIO VACACAÍ NO BAIRRO BEIRA RIO, SÃO GABRIEL, RS, BRASIL

 

Mateus Sangoi Bastianello[1]
Thais Scotti do Canto-Dorow[2]

Resumo

 

 
A relação que envolve a degradação do meio ambiente e a sobrevivência do homem se constitui em uma grande preocupação, missão que devemos refletir e buscar soluções para tornar esse contato harmonioso. Este trabalho apresenta a situação crítica que se encontra o Rio Vacacaí, nas proximidades do Bairro Beira Rio, no Município de São Gabriel, RS, Brasil, e teve como objetivo, o de sensibilizar os moradores locais, tendo em vista o respeito e à preservação do local em que habitam e aos recursos naturais, especialmente a água do rio. Para isso, foram realizadas entrevistas com os moradores e ações relacionadas à Educação Ambiental. Pode-se afirmar que os moradores não estão satisfeitos com a situação do local onde vivem, mas acreditam que a Educação Ambiental poderá ajudá-los.

Palavras-chave:Degradação;Conservação; Meio ambiente.


Abstract

DRAFT ENVIRONMENTAL EDUCATION FACING THE PRESERVATION OF RIO VACACAÍ THE NEIGHBORHOOD BEIRA RIO, MUNICIPALITY OF SÃO GABRIEL, RIO GRANDE DO SUL, BRAZIL

The relationship that involves the environment degradation and man's survival in a great concern, mission that we ought to reflect and search for solutions to make this harmonious contact. This work presents the Vacacaí river with its current critical situation, near to Beira Rio neighborhood, at São Gabriel, RS, Brazil. It aimed to sensitize local residents with the natural resources, their preservation and the local where they live, especially the river water. Interviews and actions were carried out to environmental education. The residents are not satisfied with the local situation which they live, but they believe that environmental education will help them and they will change their habitats to collaborate with the environment. 

Keywords: Degradation; Conservation; Environment.

 

INTRODUÇÃO

            Atualmente, o nosso planeta vive uma crise ambiental com sérios problemas provocados por atividades antrópicas, ainda mais no que diz respeito aos recursos naturais, especialmente a água. Antes tratada como um recurso ilimitado, hoje, estamos vendo através de pesquisas e estudos que os efeitos do desperdício, mau uso e poluição trará futuramente consequências irreparáveis que afetará diretamente a sobrevivência dos seres vivos em nosso planeta.

Segundo Fogliatti (2008), o planeta Terra poderia ser chamado de planeta Água, uma vez que cerca de 70% da sua superfície é coberta por mares, oceano e lagos. Esta realidade dá falsa idéia de que a água é um elemento abundante, ilimitado e pode ser usado indiscriminadamente. Este foi o pensamento do homem até o início da segunda metade do século XX e continua a ser em algumas culturas e sociedades ao redor do planeta.

            Como se sabe, a água é um fenômeno essencial para a sobrevivência de todos os seres vivos no planeta terra e, seu consumo, vem aumentando exponencialmente em virtude do aumento populacional, ocasionando um aumento na demanda por água em todas as partes do mundo.

            Um dos principais problemas que surgiu, neste século, é a crescente contaminação da água, ou seja, este recurso vem sendo poluído de tal maneira que já não se pode consumi-lo em seu estado natural, devido à má qualidade que a mesma se encontra.Apesar de o homem ter consciência da importância da água e do seu valor econômico, não tem dado a devida atenção ao fato de que precisamos preservá-la.

            Para manter uma condição de vida em um nível aceitável de qualidade, precisamos manter uma água saudável, em boas condições para consumo. Para isso, devemos conservar os rios em condições ambientais favoráveis ao ciclo da água e a boa relação com fauna e a flora local, mantendo-se as áreas de preservação permanente no entorno dos rios e os locais distantes da poluição.

            Por esta razão é necessário promover a educação ambiental com o objetivo de sensibilizar as pessoas quanto à importância da preservação dos recursos naturais, em especial a água, fazendo com que seu uso se realize de maneira racional, sem desperdícios.

            A educação ambiental se constitui em uma forma abrangente de educação, que se propõe atingir todos os cidadãos, através de um processo participativo permanente, que procura sensibilizar sobre a problemática ambiental, a fim de ajudar a sua preservação e utilização sustentável dos seus recursos.

            A implantação de um programa de educação ambiental é uma das formas de alavancar as mudanças necessárias para a solução ou mitigação desses problemas, que exige mudanças no comportamento do homem em relação à natureza, no sentido de promover a compatibilização de práticas econômicas de desenvolvimento e conservação ambiental, com reflexos positivos na qualidade de vida de todos (DIAS, 2004).

A educação ambiental é fundamental na obtenção dos objetivos e metas estabelecidas para uma adequada gestão ambiental, em qualquer localidade. A eficiência da gestão de uma área urbana ou rural é determinada pelo grau de educação da população local (PHILIPPI, 2014).

O município de São Gabriel está localizado na fronteira-oeste do Rio Grande do Sul, às margens da BR 290, Rota do Mercosul. Situada em um corredor de importação e exportação, está a 320 quilômetros de Porto Alegre, 290 quilômetros do Porto Internacional de Rio Grande, 300 quilômetros de Uruguaiana/Argentina e 170 quilômetros de Livramento/Uruguai. No município destaca-se o cultivo da pecuária e o cultivo de arroz, sendo um dos principais fontes econômicas da cidade. Várias indústrias estão instaladas na cidade, de onde dependem de água no seu processo produtivo, tornando-se de fundamental importância a preservação do Vacacaí.

O Rio Vacacaí tem um percurso total de 278 quilômetros, desde a sua nascente na Serra de Barbaquá, até encontrar o Rio Jacuí como seu principal afluente na margem à direita. Esse rio corta o território gabrielense com um curso sinuoso de 168 quilômetros, servindo ainda de limite com o Município de São Sepé/RS, numa distancia de 31 quilômetros.

            A poluição do Rio Vacacaí é algo preocupante, principalmente no bairro Beira Rio, onde se concentra um grande número de habitantes e onde uma enorme quantidade de resíduos domésticos é jogado no local. Os dejetos são largados e abandonados em grande escala, preocupando os habitantes da cidade pelo grande impacto causado ao rio que abastece a população gabrielense.

            O objetivo geral deste trabalho foi o de sensibilizar os moradores do bairro Beira Rio, no município de São Gabriel (RS, Brasil), por meio da Educação Ambiental, tendo em vista o respeito e à preservação do local que habitam e aos recursos naturais, especialmente a água do rio.

 

METODOLOGIA

 

            O local onde foi realizado o trabalho (Figura 1) encontra-se no bairro Beira Rio, localizado na zona norte do município, distante aproximadamente quatro quilômetros do centro da cidade, tendo em épocas de bastantes chuvas, no inverno principalmente, o grande agravante com as cheias do rio, que invade a maioria das casas. Com a cheia do rio, o lixo acumulado na sua borda é arrastado pelas correntezas da água e pode ser carregado a vários quilômetros. Figura 1: Imagens do bairro Beira Rio, município de São Gabriel (RS, Brasil)

 

fig1.jpg

Figura 1: Imagens do bairro Beira Rio, município de São Gabriel (RS, Brasil)

 

Na elaboração da pesquisa procurou-se trabalhar com pessoas que residem nas proximidades dos locais de maior descaso e que concordaram contribuir com o projeto. A primeira etapa, deste trabalho, foi a realização de um levantamento prévio de toda área a ser estudada, por meio de um trabalho de campo, quando foi realizado a coleta de dados e os registros fotográficos de todos os pontos que apresentavam poluição. Após, realizou-se um reconhecimento dos principais pontos que apresentavam problemas impactantes relacionados à comunidade e o rio, direta ou indiretamente.

A segunda etapa foi a realização de entrevistas e diálogos com alguns moradores que residem próximos às áreas mais afetadas, que se disponibilizaram a colaborar com o projeto, pois apresentavam grande desconforto com a situação local. Além disso, foram realizadas diversas visitas nesses locais estratégicos para acompanhar a situação em que se encontram e que oferecem riscos à população.

Foram aplicados 25 questionários, durante as entrevistas, com os moradores que residem próximo ou que circulavam pelo local. Foi também realizado encontros com os moradores, no sentido de motivar para a idéia de preservação e manutenção da limpeza do bairro. Além disso, os interessados em participar do projeto de Educação Ambiental foram cadastrados.

 

RESULTADOS E DISCUSSÃO

 

Após as visitas, diálogos e questionamentos com a população do bairro foi realizada a análise dos resultados.

A figura 2 demonstra o grande volume de lixo depositado no bairro às margens do Rio Vacacaí. Como mostra a imagem, os resíduos ficam muito próximos ao fluxo de água, podendo ser removidos pela força das correntezas, transportados e depositados em outro local, principalmente em períodos de cheia do rio.

 

fig2.jpg

Figura 2. Quantidade de lixo às margens do Rio Vacacaí, no bairro Beira Rio, São Gabriel, RS, Brasil

            Segundo relato de um morador, o local sempre contém enorme quantidade de lixo e a grande maioria do lixo, ali presente, é abandonado no local por pessoas que residem em outros bairros da cidade que, não tendo onde descartar seus resíduos, “acham” a maneira mais fácil jogar na cabeceira do rio. Relata ainda que, pessoas de classe média a alta frequentam o local para descartar móveis e carcaças que não lhes servem mais.

            A maioria dos entrevistados afirma que 68% do lixo que é depositado nas margens do rio e nas ruas do bairro são de responsabilidade de pessoas que residem em outros bairros da cidade que frequentam o local só para se desfazer de dejetos nas margens do rio, sendo que não possui nenhuma fiscalização no local. A outra parte dos dejetos é descartada por parte dos próprios moradores, sendo 24% do volume de lixo ali presente.

            De acordo com Layrargues (1999), a promoção da educação ambiental, por meio da resolução de problemas locais, carrega um valor altamente positivo, pois foge da tendência desmobilizadora da percepção dos problemas globais, distantes da realidade local, e parte do princípio de que é indispensável que o cidadão participe da organização e gestão de seu ambiente e objetivo de vida cotidiana.

            Ao serem questionados se a Educação Ambiental poderia contribuir para solucionar os problemas de lixo e a contaminação do rio, melhorando os hábitos e as atitudes dos moradores, a grande maioria (72%) respondeu que acredita que a Educação Ambiental minimizaria os problemas do bairro em relação à questão do lixo e ao desrespeito aos locais públicos.

Como se percebe o local é conhecido como o “centro” de descarte de resíduos da população gabrielense, onde os moradores do bairro aborrecidos pelo fato de outras pessoas que residem em outros locais da cidade descartar seus resíduos nas proximidades de suas casas. Parte desse problema pela falta de fiscalização dos órgãos governamentais, que de certa maneira, colaboram para que isso ocorra nessa região.

 

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Com a elaboração do presente trabalho, pode-se concluir que a sociedade necessita realizar ativamente ações que promovam a preservação dos nossos recursos naturais, em especial a água. Percebe-se a falta de orientação das pessoas e gestão dos recursos, como também a ausência de conhecimentos técnicos que demonstrem que os recursos são de extrema importância, e que se não tiver sustentabilidade no presente, terá sérios problemas no futuro.

            Nota-se claramente a importância do Educador Ambiental na convivência com a sociedade para que ajudem os mesmos a agirem de modo responsável e com maior sensibilidade, mantendo e conservando o ambiente saudável, modificando sua postura como pessoa quanto suas relações com o meio ambiente.

No decorrer do projeto construímos situações de reflexão, observação, práticas e sistematização dos conhecimentos prévios e dos elaborados. Contudo, a situação ambiental não foi resolvida, não recuperou-se o rio, o lixo não foi retirado das margens, tampouco reergueu-se as árvores derrubadas em sua mata ciliar, mas provocou-se as pessoas, a pensarem suas práticas, reverem seus conceitos, valorizarem as experiências vizinhas, observarem com um olhar ambientalista as relações sociais locais. Questionou-se às famílias e comunidade em geral, sobre a forma de verem e de se relacionarem com o meio ambiente, com as outras formas de vida.

 

REFERÊNCIAS

 

DIAS, G.F. Educação Ambiental: princípios e práticas. São Paulo, Gaia, 2004. 552p.

 

FOGLIATTI; Maria Cristina (et al.) Sistema de Gestão Ambiental para Empresas. Rio de Janeiro, 2008.


LAYRARGUES, P. P. A resolução de problemas ambientais locais deve ser um integrador ou atividade fim da educação ambiental. Rio de Janeiro, 1999..


PHILIPPI, A. Curso de Gestão Ambiental. 2 edição, Barueri/SP, 2014.



[1] Mateus Sangoi Bastianello. Bacharel em Gestão Ambiental pela Universidade federal do Pampa, Especialista em Educação Ambiental pela Universidade Federal de Santa Maria e graduando do Curso de Engenharia Florestal pela Universidade Federal do Pampa.

[2] Thais Scotti do Canto-Dorow,licenciada em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Santa Maria, mestrado em Ciências/Botânica pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul e doutorado em Ciências/Botânica pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul.



" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">
 
Início      Cadastre-se!      Procurar      Submeter artigo      Fazer doação      Contato     Apresentação     Normas de Publicação     Artigos     Dicas e Curiosidades     Reflexão     Para sensibilizar     Dinâmicas e recursos pedagógicos     Entrevistas     Culinária     Arte e ambiente     Sugestões bibliográficas     Educação     Você sabia que...     Contribuições de Convidados/as     Práticas de Educação Ambiental     Sementes     Educação e temas emergentes     Ações e projetos inspiradores     Gestão Ambiental     Cidadania Ambiental     Relatos de Experiências     Notícias