ISSN 1678-0701
Número 46, Ano XII.
Dezembro/2013-Fevereiro/2014.
Números  
Início      Cadastre-se!      Procurar      Área de autores      Contato     Apresentação     Normas de Publicação     Artigos     Reflexão     Para sensibilizar     Dinâmicas e recursos pedagógicos     Entrevistas     Arte e ambiente     Divulgação de Eventos     O que fazer para melhorar o meio ambiente     Sugestões bibliográficas     Educação     Você sabia que...     Plantas medicinais     Trabalhos Enviados     Breves Comunicações     Práticas de Educação Ambiental
 
Artigos

No. 46 - 16/12/2013
DECIFRANDO A TERRA ATRAVÉS DOS SOLOS  
Link permanente: http://www.revistaea.org/artigo.php?idartigo=1672 
" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">

PSICOLOGIA AMBIENTAL E SUA CONEXÃO COM A

DECIFRANDO A TERRA ATRAVÉS DOS SOLOS:

UMA EXPERIÊNCIA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO ENSINO BÁSICO

 

 

Márcio Balbino Cavalcante

Mestre em Geografia pela UFRN

Instituto Superior de Educação de Cajazeiras – ISEC/Paraíba-PB

cavalcantegeo@bol.com.br

 

 

 

RESUMO: O solo é um componente do ecossistema que merece destaque por desempenhar um papel fundamental na relação com os demais componentes da natureza.  É uma reserva natural de vários elementos químicos, e serve de suporte para o desenvolvimento da vida vegetal e animal. O objetivo geral deste trabalho é promover, nos professores e estudantes do Ensino Fundamental e Médio, a conscientização de que o solo é um componente do meio natural que deve ser conhecido e preservado de maneira adequada, levando-se em consideração sua importância para a manutenção do ecossistema terrestre e sobrevivência dos organismos dele dependentes. Dessa forma, a montagem da experimentoteca de solos possibilita o desenvolvimento de material que seja adequado à realidade dos solos brasileiros; adaptando-se aos professores do ensino básico através de uma linguagem acessível e, ao mesmo tempo tecnicamente correta, contribuindo para minimizar os problemas e permitindo que o ensino de solos se torne significativo para a sociedade como um todo.

 

Palavras-chave: Educação; Educação Ambiental; Meio Ambiente; Solos.

 

 

ABSTRACT: Soil is an ecosystem component that deserves to play a key role in relation to other elements of nature. It is a natural reserve of various chemicals, and serves as a support for the development of plant and animal life. The aim of this work is to promote, teachers and students of primary and secondary education, awareness that soil is a component of the natural environment that must be known and preserved properly, taking into account its importance for the maintenance the terrestrial ecosystem and survival of organisms under him. Thus, the assembly of soil enables the development of material that is appropriate to the reality of Brazilian soils adapting to school teachers through an accessible language, while technically correct, helping to minimize problems and allowing the teaching of soil becomes significant to society as a whole.

 

Words key: Education; Environmental Education; Environment; Soil.

 

 

 

INTRODUÇÃO

 

 

O solo é um componente do ecossistema que merece destaque por desempenhar um papel fundamental na relação com os demais componentes da natureza.  Ele funciona como um filtro e reservatório de água proveniente das chuvas, conduzindo-a para os rios, córregos e nascentes. É, também, reserva natural de vários elementos químicos, e serve de suporte para o desenvolvimento da vida vegetal e animal.

Como recurso natural dinâmico, o solo é passível de ser degradado em função do uso inadequado pelo homem, acarretando interferências negativas no equilíbrio ambiental, diminuindo drasticamente a qualidade de vida nos ecossistemas, principalmente naqueles que sofrem mais diretamente a interferência humana como os sistemas agrícolas e urbanos.

Atualmente pode-se observar a devastação do solo em diversos processos tais como: redução de sua fertilidade natural, diminuição da matéria orgânica do solo, perda de solo e água por erosão hídrica e eólica, contaminação do solo por resíduos urbanos e industriais e alteração do solo para obras civis.

A deterioração do solo, geralmente, está associada ao desconhecimento que a maior parte da população tem das suas características, importância e funções. De modo geral, no ensino fundamental e médio, os estudantes não têm acesso a informações corretas, eficazes ou adequadas à realidade brasileira, o que pode  ser verificado nas falhas existentes nos materiais didáticos disponíveis. Em contrapartida, os professores também não visualizam normalmente o solo como um importante elemento da paisagem, tornando desta maneira, o ensino de solos mecânico e sem utilidade para o aluno.

No entanto, a Universidade, através das suas funções de ensino, pesquisa e extensão, pode contribuir para minimizar esta situação, melhorando o aprendizado sobre os solos no Ensino Fundamental e Médio. Sendo assim, a criação de uma experimentos através da utilização de materiais simples que facilitam a compreensão do tema solos, vem atuando principalmente junto às escolas da rede púbica de Niterói, tendo em vista a preocupação de iniciar a educação ambiental neste meio.

O objetivo geral deste trabalho é promover, nos professores e estudantes do ensino fundamental e médio, a conscientização de que o solo é um componente do meio natural que deve ser conhecido e preservado de maneira adequada, levando-se em consideração sua importância para a manutenção do ecossistema terrestre e sobrevivência dos organismos dele dependentes.

Objetivos Específicos: Desenvolver e divulgar material didático sobre solos para o ensino fundamental e médio; Capacitar professores do ensino fundamental e médio a compreender e ensinar o tema solos; Organizar cursos e eventos de extensão universitária em escolas da rede pública e desenvolver uma home page, no qual serão disponibilizados os instrumentos gerados, permitindo o acesso de alunos de professores a este material.

 

METODOLOGIA

 

Foram montados Kits para ensaios sobre características físicas dos solos, utilizando materiais de baixo custo e de simples obtenção. O primeiro grupo de kits refere-se às características básicas e experimentos sobre erosão e conservação dos solos. Os principais experimentos são:

pH do solos – determinado com a utilização de reagente alternativo, no caso o extrato de repolho roxo.

Composição granulométrica do solo – avaliação através do tato e de observações como a plasticidade do solo.

Porosidade do solo – é avaliada segundo a capacidade de absorção de água de vários materiais, como rocha sã, rocha intemperizada e os diversos tipos de solos.

Capacidade de infiltração – obtida pela velocidade com que a água percola sobre amostras de solos distribuídos em funis confeccionados com garrafas pet. No mesmo procedimento é obtida a capacidade de retenção de água no solo.

Erosão hídrica - Foi confeccionado um simulador de chuva simplificado para a utilização em demonstrações didáticas. Este simulador é capaz de reproduzir chuvas de grande intensidade, ideal para experimentos sobre a perda de solos sob várias condições de cobertura vegetal. 

Cada kit  é acompanhado de um roteiro para o desenvolvimento dos experimentos e uma série de atividades de fixação dos conteúdos.

 

 

DESENVOLVIMENTO

 

 

Solo é a matéria mineral não consolidada na superfície da terra, que foi sujeita e influenciada por fatores genéticos e ambientais do material de origem, clima, macro e micro-organismos, e topografia. Todos estes componentes atuando durante um determinado período e produzindo um produto-solo, o qual difere do material  do qual ele é derivado em muitas propriedades e características físicas, químicas, mineralógicas, biológicas e morfológicas. (CURI et al, 1993).

A complexidade desta definição presume a dificuldade encontrada pelos professores de ensino fundamental e médio, no processo de aprendizagem deste assunto pelo estudante. O solo apresenta vários componentes, origens e atributos, o que dificulta a compreensão deste meio heterogêneo.

O solo é um componente importante dos sistemas naturais e antropizados. Ele, por si só, e por sua influência sobre os ambientes e sobre as sociedades é, evidentemente, um dos recursos essenciais, sendo necessário valorizá-lo em proveito do desenvolvimento autônomo (RUELLAN, 1988).

Entretanto, a importância do solo como parte do ambiente é frequentemente ignorada e subestimada. Nesse contexto, existe o desafio de fazer com que a população adquira consciência do solo como uma parte essencial do meio ambiente, a qual está ameaçada e necessita ser defendida.

Uma estratégia para colocar estas preocupações no cotidiano da comunidade é a efetiva introdução do conteúdo “solo” na prática do ensino fundamental e médio.

O impacto da incorporação do ensino de solos no nível médio e fundamental poderá ser medido através do aumento da consciência ambiental dos estudantes que forem alcançados por este conhecimento. Estas crianças e jovens poderão ter uma melhor compreensão do significado do solo dentro dos sistemas naturais ou antropizados, e poderão compreender a importância de conservar este recurso, além de transmitirem esta preocupação ao seu familiar, e se tornarem cidadãos mais responsáveis em relação ao meio ambiente.

O ensino de solos nos níveis fundamental e médio, de modo geral, é particularmente mecânico, através da transmissão de conhecimentos, os quais frequentemente não são relacionados às necessidades e anseios dos estudantes. Nos livros de ciências, por exemplo,  o estudo do solo é tratado através de exercícios que desenvolvem apenas habilidades de memorização dos conteúdos, impedindo o raciocínio e a criatividade dos alunos.

O processo de aprendizagem de solos nos ensinos fundamental e médio deve conter experiências concretas que levem o estudante gradativamente, à construção do conhecimento a partir de um fazer científico, vinculado ao significado social, político e cultural.

No entanto, a profundidade da explicação dos fenômenos envolvidos deve ser adequada ao nível dos alunos. Desta forma, uma mesma experiência pode servir a diversas finalidades, desde que adequadas às reflexões esperadas de cada nível de ensino.

Neste contexto, a criação da experimentoteca de solos é um instrumento de rompimento com a alienação vivida por grande parte da sociedade que, por não ter acesso às informações científicas e tecnológicas, geralmente, não se importa com os problemas ambientais.

No espaço da experimentoteca, são desenvolvidos os seguintes experimentos:

 

  • Composição do solo e suas diferentes texturas: o objetivo desta experiência é a comparação de diferentes tipos de solos, para identificar suas características comuns, como presença de água, areia, argila que variam na constituição de cada solo;
  • Porosidade do solo: tem como objetivo demonstrar a existência de poros, demonstrar a infiltração da água,  ocupando seu espaço poroso e provar a existência de ar;
  • Retenção de água pelo solo: o objetivo é demonstrar a capacidade de infiltração e retenção da água em diferentes tipos de solo e a importância da matéria orgânica nesta retenção;
  • pH do solo: seus objetivos principais são o de determinar o pH do solo em diferentes amostras, observar pH ácidos, básicos e neutros, além de discutir a importância do conhecimento do pH do solo para as práticas agrosilvipastoris, bem como a sua correção;
  • Erosão eólica e hídrica: objetiva demonstrar alguns tipos de erosão, discutir os fatores que causam a erosão do solo e seus efeitos, além de discutir algumas práticas de controle e combate da erosão.

 

O conjunto de atividades desenvolvidas irá gerar material que poderá ser uma contribuição para professores de diferentes escolas de ensino fundamental e médio na rede pública de Niterói, visando aperfeiçoar e atualizar o ensino de solos, e permitindo a ampliação das experiências geradas.

 

 

CONSIDERAÇÕES FINAIS

 

 

O estudo científico do solo, a obtenção e dispersão de informações das funções que o mesmo exerce e sua importância na vida do homem, são condições primordiais para a proteção e conservação, e uma garantia da manutenção do meio ambiente sadio e autossustentável.

Entretanto, o espaço dedicado a este componente do sistema natural é frequentemente nulo ou inexpressivo nos conteúdos do ensino fundamental e médio, tanto nas escolas da área urbana como rural. A população em geral desconhece a importância do solo, o que contribui para ampliar o seu processo de alteração e degradação.

O ensino de solos apresenta muitas questões relacionadas à inadequação de materiais didáticos ou infraestrutura, falta de preparo dos professores, e ausência de informações corretas e atualizadas que sejam de fácil acesso. No entanto, a montagem da experimentoteca de solos possibilita o desenvolvimento de material que seja adequado à realidade dos solos brasileiros; adaptando-se aos professores e estudantes do Ensino Fundamental e Médio através de uma linguagem acessível e ao mesmo tempo correta tecnicamente, contribuindo para minimizar os problemas e permitindo que o ensino de solos se torne significativo para a sociedade como um todo.

 

REFERÊNCIAS

 

 

CURI, N.; LARACH, J.O.I; KAMPF, N; MONIZ, A.C., FONTES, L.E.F. Vocabulário de ciência do solo. Campinas: Sociedade Brasileira de Ciência do Solo, 1993. 90 p.

 

LIMA, V.C., LIMA, M.R. de, SIRTOLI, A.E., SOUZA, L.C. de P., MELO, V. de F., SILVA, M. Projeto Solo na Escola: O solo como elemento integrador do ambiente no ensino fundamental e médio. Expressa Extensão, Pelotas, v. 7, n. especial, ago 2002. CD-Rom.

 

LIMA, V.C.; J.M.J.C. LIMA. Fundamentos de Pedologia. Curitiba: Universidade Federal do Paraná, 2000.

 

RUELLAN, A. Pedologia e desenvolvimento: a ciência do solo a serviço do desenvolvimento. In: MONIZ, A.C., FURLAN, A.M.C., P.R.,FREITAS, S.S. (Eds.). A responsabilidade social da ciência do solo.  Campinas: Sociedade Brasileira de Ciência do Solo, 1988. p. 69-74.

 

 



" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">
 
  Início      Cadastre-se!      Procurar      Área de autores      Contato     Apresentação     Normas de Publicação     Artigos     Reflexão     Para sensibilizar     Dinâmicas e recursos pedagógicos     Entrevistas     Arte e ambiente     Divulgação de Eventos     O que fazer para melhorar o meio ambiente     Sugestões bibliográficas     Educação     Você sabia que...     Plantas medicinais     Trabalhos Enviados     Breves Comunicações     Práticas de Educação Ambiental