ISSN 1678-0701
Número 37, Ano X.
Setembro-Novembro/2011.
Números anteriores 
Início      Cadastre-se!      Procurar      Submeter artigo      Fazer doação      Contato     Apresentação     I Prêmio Educação Ambiental em Ação     Normas de Publicação     Artigos     Reflexão     Para sensibilizar     Dinâmicas e recursos pedagógicos     Entrevistas     Arte e ambiente     Divulgação de Eventos     Trabalhos Enviados     Breves Comunicações     Práticas de Educação Ambiental
Breves Comunicações

30/08/2011O alimento como atividade pedagógica como alcance ou obstáculo para o Desenvolvimento Sustentável  
Link permanente: http://www.revistaea.org/artigo.php?idartigo=1076 
" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">

Educação Ambiental em Ação 37

O alimento como atividade pedagógica como alcance ou obstáculo para o Desenvolvimento Sustentável

 

Autor: Ronaldo Gomes Alvim

Doutor em Biologia Social pela Universidad de Salamanca, Bolsista de Desenvolvimento Cientifico Regional do CNPq/ FAPITEC-SE; Professor Visitante do Programa Regional de Pós-Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente – PRODEMA – da Universidade Federal de Sergipe; Currículo Lattes: lattes.cnpq.br/3857891508359148.E-mail: alvimrg@yahoo.com.br;  Tel: (079) 9173-7002/ (79) 2105-6783.

 

 

Resumo

Trata-se de uma estratégia didática multidisciplinar a partir do desperdício de alimentos que cada um cometemos e que obsta o Desenvolvimento sustentável.

 

Estratégia didática

Um dos grandes obstáculos que se tem para alcançar o Desenvolvimento Sustentável é a fome que assola o planeta. Hoje temos 925 milhões de pessoas subnutridas no mundo (FAO, 2010) e, por outro lado, vemos o desperdício de alimentos que são jogados fora sem que possamos imaginar a dimensão da nossa pegada ecológica e consequente responsabilidade pelo quadro global.

Uma das estratégias didáticas de se fazer conscientizar as pessoas é usar o momento pelo qual dispomos para nos alimentar e perceber o quanto se joga fora sem ser aproveitado.

A experiência consiste em fazer o professor solicitar dos alunos a contagem de grãos de arroz deixados no prato e, posteriormente, trabalhar com o grupo, o sentido do desperdício e a indisponibilidade que nossas ações causam sobre os demais seres humanos e meio naturais, condição que nos distancia do Desenvolvimento Sustentável.

 

Objetivo

 

- Realizar atividade prática que leve os estudantes dos diversos níveis de ensino, a compreenderem o desperdício alimentar como uma das circunstâncias que impedem a humanidade em alcançar o Desenvolvimento Sustentável;

- Gerar senso crítico de observação-ação junto aos alunos sobre o desperdício de alimentos que causamos em nível individual e coletivo.

- Promover reflexão sobre o desperdício alimentar em uma das atividades mais importantes e fundamentais da vida do cidadão.

 

Materiais e métodos

 

A realização da atividade contará com o professor(es) reunindo artigos  sobre o crescimento populacional, disponibilidade de recursos, pegada ecológica, desenvolvimento sustentável entre outros.

Após a discussão em sala de aula sobre os temas, solicitar aos estudantes que, após o almoço, contem o número de grãos arroz deixado no prato.

O resultado será levado para a sala de aula e o professor deverá colher informações de todos os alunos para posteriormente, tirar uma média de grãos jogados no lixo.

Como o arroz agulhinha que é o mais comum no Brasil e pesa em média 0,025gr por grão segundo Magalhães Júnior (2007), deve-se levar em conta a somatória dos grãos por aluno e a do grupo.

 

Caixa de texto: Impacto da fome = 0,025 gr x número da população estudada

 

 

 

 

A média de desperdício deve ser multiplicada pelo número de indivíduos em nível de número de pessoas da escola, habitantes do Município, Estado e País para podermos identificar o quanto se desperdiça e, consequentemente, não oportunizamos outros indivíduos saciarem a fome.

 

Conclusão

 

O professor deverá trabalhar com o aluno de forma a entender que arroz é apenas um o mais importante componente da dieta alimentar do prato brasileiro e embora não retrate tudo o que comemos, chama a atenção sobre a importância de se evitar o desperdício e de obstar o Desenvolvimento Sustentável.

 

Referência Bibliográfica

 

MAGALHÃES JÚNIOR, ARIANO MARTINS de. Recursos genéticos de arroz (Oryza sativa L.) no sul do Brasil. Universidade Federal de Pelotas, Programa de Pós-Graduação em Agronomia. (Tese Doutorado), 2007.

FAO. Disminuye el hambre mundial, pero sigue inaceptablemente alta. Organización de las Naciones Unidas para la Agricultura e la Alimentación. Acesso em 24/set/2010. Disponível em http://www.fao.org/hunger/hunger-home/es/



" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">
 
Início      Cadastre-se!      Procurar      Submeter artigo      Fazer doação      Contato     Apresentação     I Prêmio Educação Ambiental em Ação     Normas de Publicação     Artigos     Reflexão     Para sensibilizar     Dinâmicas e recursos pedagógicos     Entrevistas     Arte e ambiente     Divulgação de Eventos     Trabalhos Enviados     Breves Comunicações     Práticas de Educação Ambiental