Que meu andar, meu viver seja cada vez mais no ritmo das bicicletas... (José Matarezi)
ISSN 1678-0701 · Volume XXI, Número 79 · Junho-Agosto/2022
Início Cadastre-se! Procurar Área de autores Contato Apresentação(4) Normas de Publicação(1) Artigos(6) Notícias(6) Reflexão(4) Para sensibilizar(1) Entrevistas(1) Saber do Fazer(1) Arte e ambiente(1) Sugestões bibliográficas(3) Educação(1) Sementes(1) Ações e projetos inspiradores(2) Gestão Ambiental(1) O Eco das Vozes(1) Do Linear ao Complexo(3) A Natureza Inspira(1) Relatos de Experiências(3)   |  Números  
Arte e ambiente
03/06/2016 (Nº 56) O MUNDO (D)ESCRITO PELO PIXO
Link permanente: http://www.revistaea.org/artigo.php?idartigo=2308 
  

 

O MUNDO (D)ESCRITO PELO PIXO

 

Cláudia Mariza Mattos Brandão[i]

 

RESUMO: Neste artigo trago uma crônica visual narrativa como registro de questões fundamentais para a reflexão acerca das relações humanas com o meio sociocultural na contemporaneidade.

 

 

As cidades ao longo dos últimos anos têm seus processos de urbanização acompanhados por complexas transformações que abarcam o âmbito sociopolítico, assim como o artístico-cultural. Nesse contexto, as formas expressivas e comunicativas da pixação ganham um estatuto diferenciado, pois traduzem através de seus signos, símbolos e culturas próprias os conflitos e tensões sociais dos espaços urbanos contemporâneos. Muitas vezes tais práticas dão visibilidade a discursos que traduzem o mal-estar gerado pela vida em sociedade, mesmo assim o pixo é estigmatizado como vandalismo.

Nesta edição a revista traz como tema a Educação Ambiental associada à responsabilidade social, abrindo espaço para a reflexão aqui proposta, a de pensarmos sobre as relações humanas com o meio sociocultural através das escritas urbanas. Uma análise visual de um mundo conturbado através de registros fotográficos de minha autoria, realizados nas cidades de Pelotas (RS, Brasil) (Figuras 1 a 6) e Montevideo (Uruguay) (Figuras 7 a 11), entre os meses de março e maio de 2016, numa demonstração de que muitos discursos/reivindicações ultrapassam as fronteiras geográficas e ganham força na visualidade do pixo.

 

Figura 1

 

 

Figura 2

 

 

Figura 3

 

Figura 4

 

 

Figura 5

 

 

Figura 6

 

 

Figura 7

 

 

Figura 8

 

 

Figura 9

 

 

Figura 10

 

 

Figura 11

 

 



[i] Doutora em Educação, mestre em Educação Ambiental, professora do Centro de Artes, Artes Visuais – Licenciatura, da Universidade Federal de Pelotas. É coordenadora do PhotoGraphein - Núcleo de Pesquisa em Fotografia e Educação( UFPel/CNPq). attos@vetorial.net

Ilustrações: Silvana Santos